O incendiário que provocou a morte a 73 animais de um canil em Santo Tirso foi agora acusado pelo Ministério Público de 62 crimes de incêndio doloso.

O suspeito, detido desde o verão passado, confessou parte dos crimes e pediu ajuda médica.  

Eletricista de profissão, Rui Dias, de 29 anos, terá provocado mais de 60 incêndios no espaço de três meses. Em agosto de 2020, o homem terá ateado, no espaço de uma hora, quatro fogos.

Deslocava-se de carro para locais ermos e com o recurso a um isqueiro ateava o fogo.

Os cenários eram devastadores e uma constante luta para os bombeiros.

As chamas chegaram a ameaçar fábricas e casas, mas foi num abrigo de animais em Santo Tirso que o pior aconteceu. O fogo devastou mato, mas também parte das instalações precárias. 73 animais perderam a vida queimados, outros ficaram gravemente feridos.

A 5 de agosto, Rui Dias foi capturado junto ao kartódromo de Baltar, em Paredes, e confessou os crimes.

No processo, pediu ajuda médica, por considerar que o fascínio pelo fogo o consome. Está a aguardar julgamento em prisão preventiva.

Carolina Resende Matos