A proprietária de um canil em S. Paio, no concelho de Gouveia, foi acusada pelo Ministério Público da prática de 23 crimes de maus-tratos a animais de companhia. Os cães foram retirados das instalações do Cantinho da Lili, em setembro, e encaminhados para fiéis depositários.

Agora, a mulher mantém mais de 100 animais nas mesmas condições noutro canil com o mesmo nome, desta vez na localidade de Moimenta da Serra, também em Gouveia.

Em resposta à TVI, a Direção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV), organismo na dependência do Ministério da Agricultura, confirmou que já ordenou o encerramento deste novo canil.

Em causa está a falta de cumprimento de requisitos legais, nomeadamente existência de riscos higieno-sanitários, sobrepovoamento e bem-estar-animal", esclareceu.

Na decisão da DGAV terão pesado testemunhos de vizinhos e doadores, que deram conta da alegada falta de assistência aos animais residentes no Cantinho da Lili.

De acordo com as denúncias de testemunhas à TVI, os animais podem ficar vários dias sem receber apoio e alguns permanecem em jaulas. 

Com exceção dos dois, três dias semanais em que uma voluntária se deslocaria às instalações, os cães seriam "condenados a largos períodos de fome e sede", estando alguns confinados a "gaiolas de um metro quadrado", que deveriam ser usadas apenas para transporte ", alguns deles feridos e doentes.

Populares chegaram mesmo a invadir o espaço várias vezes para ajudar os animais com bens necessários.

"Foi mesmo necessário, não íamos deixar os animais morrer", começou por contar à TVI Eugénia Dias, uma das testemunhas. "Os animais tinham falta de água. Não tinham comida. Cheirava muito muito mal, nada era limpo. Era incrível" , descreveu.

Se as coisas continuassem assim podia acontecer alguma coisa como em S. Paio. Não podia acontecer. E já estava a começar. Estavam a pele e osso", destacou.

Eugénia revela que atualmente, apesar das medidas das autoridades, ainda há cães doentes no espaço e a necessitar de tratamento: "Há muitos animais com leishmaniose". 

A TVI contactou a proprietária do terreno, Lurdes Perfeito, que revelou que a responsável pelo Cantinho da Lili "ia de forma muito irregular" ao canil de quinta-feira a segunda-feira, entre os meses de setembro e março.

A partir de setembro comecei a ver coisas nada bonitas. Há animais em condições deploráveis. Estão em risco", descreveu Lurdes Perfeito.

A proprietária do canil foi notificada em janeiro de 2021 da suspensão da atividade do alojamento de animais de companhia sem fins lucrativos Cantinho da Lili, para cumprimento de requisitos que se encontravam em falta. Na mesma notificação, foram concedidos 30 dias para correção.

A DGAV adianta que a proprietária “não remeteu evidências da correção dos mesmos” bem como, até à data, não contestou o teor do despacho definitivo de encerramento do canil, da qual foi notificada a 10 de abril.

Proprietária do canil avança com providência cautelar

O destino dos mais de 100 animais no canil de Moimenta da Serra é uma questão que permanece em aberto. A autoridade revela ainda que a proprietária é a detentora legal dos animais, sendo que estes serão “adequadamente encaminhados de acordo com possível proposta da detentora”. Contudo, não foi rececionada pela DGAV até ao momento.

Como consequência, competirá à Câmara Municipal de Gouveia executar as medidas necessárias ao cumprimento da decisão, nomeadamente proceder à recolha dos animais, ou seja, poderão ser encaminhados para Centros de Alojamento Oficiais ou outros Alojamentos autorizados a Autoridades competentes.

TVI sabe que a proprietária do canil avançou com uma providência cautelar no Tribunal Administrativo de Viseu, com vista a atrasar o encerramento do canil e a recolha dos animais do espaço.

Como estão os animais retirados do primeiro canil?

A proprietária do Cantinho da Lili recebeu a segunda ordem do mesmo género em menos de sete meses, e, em paralelo, foi acusada pelo Ministério Público da prática de 23 crimes de maus-tratos a animais do canil sediado na localidade de S. Paio, em Gouveia.

O referido canil foi fechado, em setembro do ano passado. À data, um dos animais foi encontrado morto e em avançado estado de decomposição, sendo que os restantes 22 aparentavam "evidente estado de desnutrição", tendo sido apreendidos e distribuídos por outros canis da região.

A TVI recolheu imagens de alguns dos animais retirados do Cantinho da Lili e de como estão atualmente.

Dog no canil Cantinho da Lili e 19 dias depois 

A TVI tentou falar com o Cantinho da Lili mas, até à publicação deste artigo, não obteve resposta.

Rafaela Laja