Maria Ramada vive em Benfica desde 2019, ano em que deixou a antiga casa na zona de Telheiras, por considerar que o bairro tinha pouca vida.

Benfica, gosto muito, tem tudo. A gente chega à janela, vemos tudo: centro comercial, cafés", conta, com um sorriso no rosto, à equipa de reportagem da TVI.

E precisamente por não faltar nenhum tipo de serviço naquela zona da cidade de Lisboa, a reformada de 77 anos escolheu, a conselho de uma vizinha, a clínica Caredent para fazer um tratamento dentário rotineiro.

Ao fazerem-lhe a limpeza, disseram que ela precisava de um tratamento maior", relata Rui Ramada, o filho, à TVI.

O médico que observou Maria considerou que a mulher tinha necessidade de um enxerto de osso e de alguns implantes, procedimentos a realizar a médio prazo e orçamentados no valor de 8.500 euros.

Entratanto, disseram-lhe que, se ela fizesse o pagamento adiantado, fariam um desconto e que o valor ficaria em 7 mil euros", detalha o filho.

Considerando estar perante uma boa oportunidade de negócio, a reformada aceitou a proposta e procedeu ao pagamento do valor global do orçamento, em setembro do ano passado. A verdade é que Maria Ramada não fazia ideia que a entrega do dinheiro representava o início de um caminho praticamente impossível de palmilhar.

Os meses foram passando, e eu fui reparando que a minha mãe ia-se queixando que eles não a chamavam para fazer os tratamentos. Cada vez que ia lá, eles despachavam e arranjavam desculpas, por exemplo que o médico responsável tinha ido para o Brasil", conta Rui Ramada.

Maria garante que perdeu a conta ao número de vezes que se dirigiu à Caredent de Benfica para pedir dessem seguimento às consultas e tratamentos que já estavam pagos, na totalidade.

Ao longo destes meses todos a única coisa que fizeram na boca da minha mãe foi a instalação de um parafuso. Não fizeram rigorosamente mais nada", denuncia o filho à TVI.

Em contrapartida de um desconto, pagar um tratamento dentário, à cabeça, no valor de 7 mil euros. Mas, no fim da história, ficar sem o dinheiro e sem os dentes arranjados. Acontece, e acontece aos melhores.

Eu acho que os ditados portugueses, muitas vezes, fazem sentido. E há quem diga que, quem paga adiantado, é mal servido. Eu acho que as pessoas, para pagarem adiantado, principalmente verbas assinaláveis como esta, têm de ter a certeza que a empresa é absolutamente sólida. Caso contrário, mais vale não beneficiarem do desconto e irem pagando progressivamente, à medida que os serviços são prestados", considera a advogada Rita Garcia Pereira.

No final de abril deste ano, por concluírem que a clínica já não ia avançar com qualquer tratamento e para tentarem reaver o dinheiro, mãe e filho dirigiram-se ao espaço para falar com o proprietário, Pedro Gomes Barata, conhecido como Doutor Barata.

Ele começou a dizer-nos que não tinha disponibilidade financeira para proceder à devolução do valor. Não concordámos e dissemos que estávamos a ser alvo de uma burla", conta Rui Ramada.

Sem entendimento possível e com a ajuda do filho, no início de Maio, Maria enviou uma carta registada ao proprietário da clínica a exigir a devolução dos 7 mil euros em dez dias úteis. Porém, o prazo já foi ultrapassado e o dinheiro continua no bolso do Doutor Barata.

A justiça está um pouco do lado dos burlões. Ele próprio disse-me que, de um momento para o outro, pode abrir falência e nós ficamos a ver navios", relata Rui Ramada.

Rita Garcia Pereira confirma que esta é uma possibilidade, uma vez que, quando uma empresa é declarada insolvente, significa que não tem património para satisfazer todos os credores.

As pessoas são pagas de acordo com a sua classe, são hierarquizadas em grupos. Primeiro Estado, depois trabalhadores, depois credores comuns e, por fim, credores subordinados. Os clientes são credores comuns, ou seja, estão em terceiro lugar na listagem. É muito difícil que venham a receber", conclui a advogada.

Maria e Rui, mãe e filho, têm a certeza que não são os únicos lesados da clínica Caredent de Benfica, e têm razão. A TVI encontrou, também e por exemplo, Cláudio de Oliveira.

Brasileiro a viver em Portugal há 22 anos, fez, em 2019, um acordo de pagamento mensal com a mesma clínica para um tratamento avaliado em 7.500 euros.

Foi em novembro. Depois, em 2020, até ao final do ano, eu fui pagando só que já não estavam a fazer nada na minha boca. Por isso, em fevereiro deste ano, como eu não via o trabalho feito, deixei de pagar."

Feitas as contas, entregou 2.700 euros à clínica, mas acabou por ficar com o tratamento a meio. E, para já, não existe qualquer garantia de que venha a ser concluído. É que, há algumas semanas, a Caredent de Benfica fechou portas.

Na clínia que o Doutor Pedro Barata também tem no Campo Pequeno, disseram-me que em Benfica estão com problemas técnicos, estão a fazer manutenção e vão abrir no dia 2 de junho", conta Cláudio de Oliveira.

Porém, na porta de entrada da loja, até ao final do dia da última sexta-feira, a justificação era outra. Um caso de Covid-19 entre pacientes terá levado ao encerramento da clínica. Certo é que o mau presságio não fica por aqui, numa altura em que a empresa de Pedro Gomes Barata já faz parte da lista de devedores à Segurança Social

Também tentei aceder ao site deles e não abre. Diz que o site não existe. Há tanta mentira, que eu já não sei o que é verdade", lamenta Cláudio de Oliveira.

No fundo, Cláudio só sabe que, em breve, terá de procurar outra clínica para terminar o tratamento inacabado e sujeitar-se a um novo orçamento. Já Maria, está perante um problema mais grave e difícil de resolver, uma vez que pagou 7 mil euros e, em 8 meses, a única coisa que recebeu em troca foi um parafuso na boca e uma radiografia.

Eu queixei-me a todas as entidades que pude, e não noto que haja uma resposta célere, uma defesa das pessoas perante uma situação tão crítica", lamenta Rui Ramada, sem saber já o que fazer para ajudar a mãe a recuperar o dinheiro.

Rita Garcia Pereira não tem dúvidas que a melhor solução, para já, é interpor, num tribunal, uma providência cautelar de arresto, tendo em conta a situação de aparente instabilidade financeira da empresa.

Significa isto que os bens e as receitas da empresa ficam congeladas à espera da decisão final de um juiz. Este tipo de ação compensa financeiramente, uma vez que as custas são, depois, pedidas à própria empresa", conclui a advogada.

No entanto, a cada dia que passa, Maria Ramada conclui que não consegue aguentar a espera e que, mesmo sem os 7 mil euros de volta, terá de recorrer a outra clínica para fazer o tratamento de que precisa com urgência.

Já o filho tem esperança de que a mãe ainda consiga ou reaver o dinheiro ou ver concretizado o tratamento que está pago há praticamente um ano.

Vai correr bem. Eu acho que ele, depois de ver esta reportagem, vai ser sensível", diz, com algum alento, Rui Ramada.

A TVI contactou Pedro Gomes Barata, o dono da Caredent de Benfica. Por telefone, o homem recusou gravar uma entrevista, mas nega ter burlado qualquer um dos seus clientes.

Este é o fim da primeira temporada da rubrica Acontece aos Melhores. Ao longo dos últimos três meses, percorremos o país de norte a sul, Portugal de este a oeste. À antena da TVI chegaram os protagonistas dos problemas que não batem só à porta dos outros. Da antena da TVI saíram possíveis soluções para os percalços que, às vezes, acontecem aos melhores.

Ainda assim, queremos que este continue a ser um espaço de todos, e para todos, os telespectadores da TVI e leitores do site da TVI24. Por isso, continue a relatar-nos os problemas que não consegue resolver para o e-mail aconteceaosmelhores@tvi.pt. 

Prometemos voltar a navegar, aqui e na antena da TVI, num abrir e fechar de olhos.

Emanuel Monteiro