O Governo vai atribuiu uma compensação de 145 mil euros aos pais da guarda prisional que morreu em 6 de novembro de 2018 numa ação de formação de tiro, em Paços de Ferreira.

Segundo um despacho da ministra da Justiça hoje publicado em Diário da República, foram atribuídos aos pais de Carla Amorim, herdeiros da guarda prisional, 145 mil euros como compensação pelo falecimento da filha.

O inquérito ao incidente concluiu que houve “nexo de causalidade entre o risco inerente ao exercício da função de segurança” e a morte da guarda prisional, que tinha 32 anos.

A guarda do Estabelecimento Prisional de Santa Cruz do Bispo (feminino), natural de Mesão Frio, morreu ao ser atingida no peito por um dos formadores, durante uma ação de formação integrada no plano anual de tiro.