Só na última semana, "Lisboa teve três vezes mais casos observados do que aquilo que seria de esperar", apontou a professora da Escola Nacional de Saúde Pública, Carla Nunes na reunião do Infarmed que decorreu esta sexta-feira em Lisboa.

E foi precisamente o aumento de casos que levou na quinta-feira o Governo a decidir que Lisboa vai entrar em situação de alerta, fazendo ainda um alerta para que todos continuem a cumprir as regras.

Neste momento, a maior incidência de casos está na faixa etária dos "adultos jovens", com destaque para as idades entre os 20 e 29 anos e entre os 30 aos 40 anos.

Comportamento dos portugueses com alterações

Durante a sua intervenção, Carla Nunes apontou ainda que o comportamento dos portugueses tem registado "alterações significativas, concordantes com o desconfinamento".

De acordo com o estudo, 16,2% das pessoas admitiram que já tiveram em grupos com 10 ou mais pessoas. Em fevereiro, esta percentagem era de 1,9%.

A especialista referiu ainda que os portugueses sentem-se agora menos "ansiosos ou tristes" e que a confiança nos serviços de saúde aumentou.

Lara Ferin