O presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, Carlos Bernardes, foi encontrado morto esta segunda-feira na sua habitação, na zona do Turcifal.

A TVI sabe que, após investigação do caso, a Polícia Judiciária afastou a hipótese de crime. O homem foi encontrado com ferimentos de arma branca no pescoço, tendo sido encontrada uma faca junto ao corpo.

Carlos Bernardes, de 53 anos, já tinha anunciado uma recandidatura à autarquia, onde estava desde 2015. Nas eleições deste ano era novamente apoiado pelo PS.

Elementos da Brigada de Investigação de Homicídios da Polícia Judiciária de Lisboa deslocaram-se ao local para investigar as circunstância da morte do autarca, referiu à Lusa fonte policial.

Em março, a comissão política de Torres Vedras do PS aprovou a recandidatura de Carlos Bernardes à presidência do município, no distrito de Lisboa, nas autárquicas deste ano.

Dentro da minha disponibilidade, continuo a servir o partido e a minha terra”, afirmou então o autarca, prometendo um “trabalho de continuidade” e apontando as prioridades do próximo mandato.

Carlos Bernardes ganhou pela primeira vez a corrida à presidência da câmara em 2017 e foi vice-presidente entre 2005 e 2015.

Em 2015, assumiu o cargo de presidente quando o então líder do executivo, Carlos Miguel, renunciou ao mandato para assumir funções no Governo.

PS manifesta “profunda tristeza” pela morte de autarca de Torres Vedras

O PS manifestou “profunda tristeza” pela morte do presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras e recandidato ao cargo pelo partido, Carlos Bernardes, que foi encontrado morto em casa.

É com profunda tristeza que o Partido Socialista recebe a notícia da morte prematura do nosso camarada Carlos Bernardes, que assumia a presidência da Câmara Municipal de Torres Vedras. Todas as mortes são vãs, mas uma morte de uma pessoa tão jovem, entristece-nos a todos por demais”, refere o partido, numa nota de pesar da direção do partido.

O PS recorda que foi também presidente do Conselho de Administração dos SMAS de Torres Vedras e que era doutorado em Turismo, pela Universidade de Lisboa, e licenciado em Gestão de Empresas Turísticas e Hoteleiras, pelo Instituto Superior Politécnico do Oeste.

A Direção Nacional do Partido Socialista manifesta as suas mais sentidas condolências à família, em especial à mulher e ao filho”, refere o comunicado.

Câmara de Torres Vedras decreta cinco dias de luto municipal

O município de Torres Vedras decretou cinco dias de luto municipal pelo falecimento do presidente da câmara, Carlos Bernardes, encontrado morto em casa.

Em nota de imprensa, esta autarquia começou por dizer que “é com enorme pesar que a Câmara Municipal de Torres Vedras transmite o falecimento de Carlos Bernardes”.

O município lembrou o autarca pelo "percurso marcado pela sua dedicação à causa pública e à administração local", sendo presidente da câmara desde 2015 e tendo sido vice-presidente entre 2005 e 2015.

Carlos Bernardes destacou-se pelo "empenho na defesa do ambiente e da sustentabilidade, colocando Torres Vedras num lugar de relevo a nível nacional e internacional", lê-se na nota.

“A Câmara Municipal de Torres Vedras endereça as mais profundas condolências à família e apela ao respeito de todos pela sua privacidade”, acrescentou.

Na nota, o município declarou, “a partir de hoje, cinco dias de luto municipal”.

Henrique Machado