A coordenação do processo de vacinação contra a gripe sazonal vai ser liderada pelo coronel do exército Carlos Penha Gonçalves, coadjuvado por uma equipa com mais oito elementos, representativos dos três ramos das Forças Armadas.

A informação foi avançada esta terça-feira pelo até agora coordenador da ‘task force’ da vacinação contra a covid-19, vice-almirante Henrique Gouveia e Melo, que anunciou o “fim da missão” que liderou nos últimos oito meses, e confirmada de seguida pelo primeiro-ministro, António Costa, que destacou o “render da guarda” na evolução que se segue em termos de esforço de vacinação dos portugueses.

Carlos Penha Gonçalves é também médico veterinário e já integrava a ‘task force’ da vacinação, tendo a seu cargo o Núcleo de Normas e Simplificação. Os oito elementos que o acompanham neste processo, cujo fim está previsto para 15 de dezembro, pertenciam igualmente à equipa anteriormente liderada por Gouveia e Melo.

De acordo com a explicação feita pelo vice-almirante no derradeiro ‘briefing’ da ‘task force’ - realizado no Comando Conjunto das Operações Militares, em Oeiras -, a nova equipa vai estar em articulação permanente com o Ministério da Saúde, a Direção-Geral da Saúde, o Infarmed, os Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS) e o Serviço de Utilização Comum dos Hospitais (SUCH).

Portugal iniciou na segunda-feira a vacinação contra a gripe sazonal, numa fase de transição em que a este processo vacinal se soma a administração da terceira dose da vacina contra a covid-19 a determinadas faixas da população.

Agência Lusa / NM