“Sempre dissemos que é fundamental os parceiros sociais serem envolvidos [na discussão da reforma da Segurança Social] e o problema é quando se está a discutir uma coisa demasiado séria num ambiente de guerrilha institucional e de campanha eleitoral”, afirmou o dirigente aos jornalistas depois de se ter reunido com o presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque.
















Redação / AM