"A Assembleia da Republica reconheceu o mirandês como segunda língua oficial em Portugal, [Lei 7/ 99 de 29 de janeiro] e desde aí não foram dados passos. Portugal, no contexto europeu, deveria ter assumido a assinatura do AELM", atirou.


"A língua foi reconhecida politicamente. Mas o próprio Ministério da Educação não tem feito nada para que o mirandês seja uma língua protegida, dinâmica e que integre os programas de aprendizagem", frisou.









Mirandês é ensinado nas escolas desde 86/87




Amadeu Ferreiralíngua mãe foi a sua grande paixão.