A Santa Casa da Misericórdia do Porto assinala quarta-feira o segundo aniversário da entrada solene do Bispo do Porto, D. Manuel Clemente, na Sé Catedral, com o arranque do projecto «Sopa na Noite», para apoiar os mais desfavorecidos, avança a agência Lusa.

«Entendemos que fazia todo o sentido arrancar com o projecto neste aniversário, depois do Bispo do Porto ter lançado recentemente um apelo à sociedade no sentido de se promoverem acções para ajudar quem necessita», afirmou Álvaro Rodrigues, responsável pelo projecto.

Nesse sentido, a Misericórdia do Porto inicia, a partir de quarta-feira à noite, a distribuição de «uma refeição ligeira, quente», que será composta por uma «sopa substancial», pão, água e fruta.

«O projecto surge como um complemento ao apoio que já é prestado por outros estabelecimentos da Misericórdia do Porto e por outras instituições da cidade, que oferecem almoços e distribuem alimentos», frisou, salientando que não existe oferta equivalente ao jantar.

A partir de quarta-feira, todos os dias, entre as 21:00 e as 22:00, essa refeição nocturna pode ser obtida nas instalações da Misericórdia do Porto na Rua Duque de Loulé, na zona da Batalha.

150 sopas por noite

«O acesso é livre, sem qualquer restrição. Estamos preparados para servir 150 sopas por noite, mas, se a procura for maior, podemos responder de imediato», assegurou Álvaro Rodrigues.

No local funciona a «Casa da Rua», um equipamento social da Misericórdia do Porto vocacionado para o apoio aos sem-abrigo da cidade.

Para esse efeito, dispõe de um conjunto de espaços comunitários, onde funcionam os balneários, onde os utentes podem fazer gratuitamente a higiene diária, a lavandaria e o refeitório, que serve diariamente 100 refeições, a um preço de 0,75 cêntimos, mas que pode ser grátis se o utente comprovar que não tem meios para assumir este custo.

A «Casa da Rua», ao nível dos espaços comunitários, possui ainda um gabinete de atendimento permanente, com uma técnica de Serviço Social, e um gabinete de apoio psicológico, assegurado por uma psicóloga, além de uma sala de convívio com televisão, onde será também montada uma pequena biblioteca.

Este equipamento de apoio social possui ainda uma residência temporária, com capacidade para 20 homens, sendo os primeiros 15 dias da estadia destinados a uma avaliação da situação do utente e os restantes para colocar em marcha o projecto de vida definido.

A «Casa da Rua» funciona ininterruptamente, 24 horas por dia, todos os dias do ano.
Redação / AP