O número de casos de covid-19 deve aumentar fortemente nas próximas semanas na União Europeia (UE) devido à variante Delta e ao alívio generalizado de medidas de restrição, anunciou hoje o Centro Europeu para o Controlo de Doenças (ECDC).

De acordo com as projeções divulgadas hoje, poderão registar-se quase cinco vezes mais casos novos de infeção até 1 de agosto, sendo estimada uma incidência superior a 420 novos casos por 100.000 habitantes para a semana que termina em 1 de agosto em relação ao território da UE, bem como Noruega e Islândia. Na semana passada, a incidência era inferior a 90 casos por 100.000 habitantes.

Já para a semana seguinte, entre 2 e 8 de agosto e que representa a projeção mais longa do ECDC, o organismo europeu estima uma nova subida deste indicador, passando então para cerca de 620 novos casos por cada 100.000 habitantes.

Embora estas projeções continuem a ser cenários epidemiológicos, este nível de infeção é consentâneo com aquele que foi observado durante os picos do outono de 2020 e em abril de 2021, segundo os dados da agência da UE. No entanto, o número de hospitalizações e óbitos deve ter um crescimento mais lento, devido à campanha de vacinação a nível comunitário.

Atualmente, a tendência é ascendente em dois terços dos 30 países monitorizados pelo ECDC, "e nos países mais afetados, os maiores aumentos nos casos e os níveis mais elevados de infeção registam-se no grupo etário dos 15-24 anos, com aumentos limitados” no grupo acima dos 65 anos.

Na semana passada, entre 5 e 11 de julho, o número de novos casos na UE teve um salto de 60%, aumentando pela segunda semana consecutiva, de acordo com o organismo, devido ao "relaxamento das medidas e à progressão da variante Delta" inicialmente detetada na Índia.

Recentemente, a agência com sede em Estocolmo alertou que esta mutação do vírus SARS-CoV-2 representaria 90% dos novos casos até ao final de agosto a nível comunitário.

A pandemia de covid-19 já causo mais de quatro milhões de mortos em todo o mundo.

/ CM