Portugal regista esta quarta-feira mais quatro mortes e 485 novos casos de covid-19, segundo o boletim divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

O índice de transmissibilidade (Rt) subiu para 0,93 em todo o território, sendo de 0,92 no continente, o que corresponde a uma subida de 0,01 em ambos os casos.

A incidência voltou a descer, sendo agora de 51 casos por 100 mil habitantes a nível nacional e de 48,7 casos por 100 mil habitantes no continente. Os anteriores valores eram de 53,8 e 51,4 casos por 100 mil habitantes, respetivamente.

O R(t) e a incidência são os dois parâmetros que compõem a matriz de risco delineada pelo Governo, e que serve de barómetro à reabertura da sociedade. A incidência deve manter-se sempre abaixo dos 120 casos por 100 mil habitantes, e a transmissibilidade não deve ultrapassar o 1. Assim, Portugal mantém-se no verde no semáforo apresentado por António Costa em março.

Nos hospitais estão menos nove pessoas, num total de 248. Destas, 71 estão em unidades de cuidados intensivos, um número que se mantém igual ao último balanço.

A região do Algarve registou duas das quatro mortes, com Norte e Lisboa e Vale do Tejo a reportarem uma cada.

Na região Norte confirmaram-se mais 169 casos, seguindo-se Lisboa e Vale do Tejo, com 167, o Algarve, com 46, o Centro, com 41 e o Alentejo, com 24.

Nota ainda para as regiões autónomas dos Açores e da Madeira, com mais 19 casos cada.

As autoridades regionais dos Açores e da Madeira divulgam diariamente os seus dados, que podem não coincidir com a informação divulgada no boletim da DGS.

O novo coronavírus já infetou em Portugal pelo menos 381.550 homens e 458.605 mulheres, mostram os dados da DGS, segundo os quais há 338 casos de sexo desconhecido, que se encontram sob investigação, uma vez que esta informação não é fornecida de forma automática.

Do total de vítimas mortais, 8.928 eram homens e 8.070 mulheres.

O maior número de óbitos continua a concentrar-se nos idosos com mais de 80 anos, seguidos da faixa etária entre os 70 e os 79 anos.

Do total de mortes, 11.179 eram pessoas com mais de 80 anos, 3.621 com idades entre os 70 e os 79 anos, e 1.526 tinham entre os 60 e os 69 anos.

António Guimarães