Portugal regista mais três mortes e 572 novos casos de covid-19, segundo o boletim divulgado esta quarta-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS). Com os novos dados, o número total de óbitos causados pela doença sobe para 16.973, num universo de 835.563 casos confirmados.

O índice de transmissibilidade (Rt) subiu a nível nacional de 0,99 para 1, enquanto a incidência baixou, tanto em todo o país como apenas no Continente.

O número de casos por 100 mil habitantes é agora de 69,3 a nível nacional e de 66,5 a nível Continental, descendo de 70,4 e 67,3, respetivamente.

Estes indicadores – o índice de transmissibilidade do vírus e a taxa de incidência de novos casos de covid-19 – são os dois critérios definidos pelo Governo para a avaliação continua que está a ser feita do processo de desconfinamento que se iniciou a 15 de março, devendo manter-se abaixo de 1 e dos 120 casos por 100 mil habitantes.

Há menos 14 pessoas internadas, num total de 332, das quais 88 estão em unidades de cuidados intensivos (mais duas em 24 horas). Desde o dia 29 de agosto que não havia tão poucos doentes hospitalizados em Portugal.

Com mais 576 pessoas recuperadas, o número de casos ativos desceu em sete, para 23.809.

Todas as mortes contabilizadas nas últimas 24 horas ocorreram na região Norte, que registou também a maioria dos casos (261).

Lisboa e Vale do Tejo viu serem confirmados mais 186 casos, enquanto o Centro teve mais 61 contágios e o Algarve mais 31. No Alentejo foram registados apenas dois novos casos nas últimas 24 horas.

Nota ainda para as regiões autónomas dos Açores e da Madeira, que viram ser confirmados mais 22 e 9 casos, respetivamente.

As autoridades regionais dos Açores e da Madeira divulgam diariamente os seus dados, que podem não coincidir com a informação divulgada no boletim da DGS.

O novo coronavírus já infetou em Portugal pelo menos 379.066 homens e 456.187 mulheres, mostram os dados da DGS, segundo os quais há 310 casos de sexo desconhecido, que se encontram sob investigação, uma vez que esta informação não é fornecida de forma automática.

Do total de vítimas mortais, 8.914 eram homens e 8.059 mulheres.

O maior número de óbitos continua a concentrar-se nos idosos com mais de 80 anos, seguidos da faixa etária entre os 70 e os 79 anos.

Do total de mortes, 11.169 eram pessoas com mais de 80 anos, 3.614 com idades entre os 70 e os 79 anos, e 1.519 tinham entre os 60 e os 69 anos.

António Guimarães