Quatro bombeiros ficaram feridos, um deles em estado grave, no combate aos incêndios que estão, este sábado, a lavrar no distrito de Castelo Branco, avançou a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC).

A ANEPC não revelou, num briefing com jornalistas, em que incêndio os bombeiros ficaram feridos e de que corporação são.

Dois incêndios que atingem desde as 15:00 de hoje os concelhos de Vila de Rei e da Sertã estão a mobilizar 13 meios aéreos e mais de 500 operacionais.

Fogo entra no concelho de Mação

Uma frente deste fogo que atinge o concelho de Vila de Rei entrou "com bastante violência" no concelho de Mação cerca das 20:00, disse à Lusa o responsável pela proteção civil de Mação.

António Louro adiantou que se trata de uma frente de fogo com oito quilómetros, que entrou no concelho de Mação (distrito de Santarém) na zona de Azinhal, Cardigos e Vinha Velha.

As chamas avançam "com muita violência", registando-se "muito vento" no local, acrescentou.

De acordo com o mesmo responsável, as próximas horas vão ser "muito difíceis", adiantando que as operações estão centradas na proteção às populações.

Atrás desta frente de fogo há mais dois incêndios ativos no distrito de Castelo Branco que se dirigem também para Mação, segundo a mesma fonte.

Praia fluvial evacuada

Dois incêndios que atingem desde as 15:00 de hoje os concelhos de Vila de Rei e da Sertã, no distrito de Castelo Branco, estão a mobilizar 13 meios aéreos e mais de 500 operacionais.

Um incêndio que lavra em Vila de Rei, distrito de Castelo Branco, chegou a ter uma frente a ser empurrada pelo vento na direção de habitações, como a TVI pôde testemunhar em direto, cerca das 17:45. As chamas em Vila de Rei deflagraram na localidade da Fundada pelas 14:50.

A praia fluvial do Bostelim, em Vila de Rei, distrito de Castelo Branco, foi evacuada por precaução, avança a Lusa, citando fonte da Câmara local. O vice-presidente do Município de Vila de Rei, Paulo César, explicou que o facto de várias autocaravanas utilizarem aquele local, poderia criar uma situação de pânico numa eventual necessidade de operações mais intensivas naquele local.

Além disso, disse o autarca, o fumo também contribuiu para a evacuação daquele espaço de lazer.

A estrada nacional 2 (EN2), entre Vila de Rei e Sertã, nas proximidades da Cumeada, esteve cortada ao trânsito devido ao incêndio.

“Não se passa mesmo. Até há meios operacionais que não conseguem passar”, disse, pelas 18:00, Paulo César. 

A via já foi entretanto reaberta ao trânsito.

Também pelas 18:00, o vice-presidente disse também que três aldeias estavam próximas das chamas e em “perigo”, nomeadamente Monte Novo, Fouto e Relva do Boi.

O incêndio de Vila de Rei, de acordo com Paulo César, tem duas frentes ativas, uma delas a progredir em direção a um dos incêndios da Sertã.

O autarca disse também que o incêndio lavra numa zona de eucalipto e pinho, de regeneração natural, e que a região está a ser atingida por ventos fortes.

Outro fogo, também no distrito de Castelo Branco é combatido por 210 bombeiros, 55 viaturas e oito meios aéreos. Este incêndio, em Cernache do Bom Jardim, Nesperal e Palhais, deflagrou pelas 14:47, na localidade de Rolã.

As zonas onde eclodiram os dois incêndios ficam relativamente próximas uma da outra, já que a povoação de Rolã, no município da Sertã, dista cerca de seis quilómetros em linha reta de Fundada, em Vila de Rei, concelho localizado a sul e vizinho do da Sertã.

Também no concelho da Sertã, lavra outro incêndio, na união de freguesias de Ermida e Figueiredo, combatido por 33 bombeiros, apoiados por sete viaturas e três meios aéreos.

Ainda no Concelho da Sertã, a localidade de Pombas, um fogo é combatido por 17 bombeiros, apoiados por uma viatura e dois meios aéreos.

Além das temperaturas elevadas, o vento é o principal inimigo no combate às chamas. Ajuda na propagação das chamas e suscita o perigo de projeções.  

Um total de seis incêndios florestais estão hoje à tarde em curso no centro do país, mobilizando um total de 750 operacionais, 196 viaturas e 19 meios aéreos, segundo a Proteção Civil.

A página da internet da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), que não dá conta de qualquer ocorrência importante, indica que o distrito com mais meios é o de Castelo Brando, mas, no distrito de Viseu, 176 operacionais, 42 viaturas e dois meios aéreos combatem as chamas num incêndio em mato no concelho de Nelas, uma ocorrência que começou às 17:23 e que já se encontra em resolução.

Em Viana do Castelo, estão ativos três incêndios com 55 bombeiros, 14 viaturas e uma aeronave.

A ANEPC registava, às 18:50, um total 37 incêndios que mobilizam 1.225 operacionais, 337 viaturas e 23 meios aéreos. Dos 37 fogos, três estão em resolução e 26 em conclusão, estando os restantes em curso.