pela classificação de Óbidos e de Idanha-a-Nova pela UNESCO


"É uma distinção com a qual todos nos devemos congratular"




"O projeto das Aldeias Históricas de Portugal, cujos 20 anos comemoramos, é um claro exemplo dessa nova sensibilidade. Pelo seu pioneirismo, pela diversidade dos esforços envolvidos e pelos resultados alcançados, é digno da melhor atenção por parte dos poderes públicos, das empresas e dos cidadãos em geral".


Também o ministro da Cultura, João Soares, se congratulou com a escolha da UNESCO.
 

“Estas distinções premeiam um notável trabalho das respetivas autarquias e o empenho de organizações da sociedade civil, que deve ser considerado como exemplar, a nível nacional”


Em comunicado, João Soares “endereça as suas felicitações aos munícipes de Óbidos e de Idanha-a-Nova e a todas as entidades e autarcas envolvidos".

Por sua vez, o Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) destacou, em comunicado, a entrada das vilas de Idanha-a-Nova e de Óbidos na rede de Cidades Criativas da UNESCO.

Em comunicado enviado à agência Lusa, o Ministério dos Negócios Estrangeiros explica que a rede de Cidades Criativas, criada pela UNESCO em 2004, procura desenvolver a cooperação internacional entre cidades (urbes) que identificaram a criatividade como um fator estratégico para o desenvolvimento sustentável.

"A rede facilita a partilha de experiências, conhecimentos e recursos entre as cidades membros, como um meio para promover as indústrias criativas locais e fomentar a cooperação mundial para o desenvolvimento urbano sustentável"


A Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) classificou hoje Óbidos, no distrito de Leiria, como Cidade Literária, enquanto Idanha-a-Nova, no distrito de Castelo Branco, passou a integrar o grupo das Cidades Criativas na categoria Cidade da Música da UNESCO.