A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) alertou este sábado para a possibilidade de cheias rápidas em meio urbano e de inundações devido ao agravamento das condições meteorológicas previsto para domingo, com chuva persistente.

O alerta da Proteção Civil surge após o contacto realizada hoje entre o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) e o Comando Nacional de Operações de Socorro da ANPC, que prevê um agravamento das condições meteorológicas para domingo, onde ao longo de todo o dia ocorrerá precipitação persistente.

A Proteção Civil refere que o estado do tempo em Portugal Continental está, desde sexta-feira, “influenciado por uma corrente zonal à qual está associada uma massa de ar tropical, muito húmida, que é responsável por precipitação persistente, e por vezes forte”.

No entanto, sublinha, que no domingo vai aproximar-se “um vale nos níveis altos da troposfera, em processo de cavamento”, que poderá originar uma atmosfera instável, essencialmente nas regiões a sul do sistema montanhoso Montejunto-Estrela, onde poderão ocorrer eventuais trovoadas.

A ANPC adianta que está acompanhar, através dos comandos distritais de Operações e Socorro, as bacias do Cavado, Douro, Vouga, Mondego, Tejo e Ribeiras do Oeste devido à chuva.

Tendo em conta estas condições meteorológicas, a Proteção Civil alerta para o piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água, possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem, e inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis.

A ANPC prevê também inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem, dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preia-mar, podendo causar cheias nos locais historicamente mais vulneráveis, possíveis acidentes em zonas historicamente inundáveis, bem como a obstrução de vias de circulação por queda de árvores, deslizamento ou desabamento de terras, pedras ou outras estruturas.

Como medidas preventivas, a ANPC apela à população para garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas e para não atravessarem zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas.

A adoção de uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água nas vias, a retirada das zonas confinantes, normalmente inundáveis, equipamentos agrícolas, industriais, viaturas e outros bens e a colocação de animais em locais seguros, retirando os rebanhos que se encontram nas zonas que serão provavelmente inundáveis são outros conselhos da Proteção Civil.