É necessário que chova em abundância para inverter a seca na agricultura. O problema agravou-se este ano, apesar da falta de água nos solos não ser exclusiva deste inverno.

Investigadores da Escola Superior Agrária de Castelo Branco alertam que os chuviscos não são suficientes para inverter a seca e que esta situação tem-se repetido nos últimos anos.

Há 12 anos que a Escola Superior Agrária de Castelo Branco acompanha a quantidade de água nos solos.

Em declarações à Lusa, o docente José Fragoso de Almeida alerta que mesmo que a pluviosidade aumente depois do verão, não será em quantidade suficiente para compensar o constante défice de água no solo verificado em anos anteriores.

O balanço hídrico do nosso país na última década é negativo e os efeitos da atual seca vão prolongar-se em 2013. Devido à seca, os solos vão registar menos sementes naturais para o pasto germinar e 85 por cento das pastagens vão ter menos para dar no próximo ano.