Seis cidadãos estrangeiros foram identificados pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) a trabalhar sem autorização de residência, na sequência de várias ações de fiscalização na área do Vale do Tejo e Alentejo, foi hoje anunciado.

Em comunicado, o SEF explica que desenvolveu na quarta-feira uma ação de fiscalização na zona do Seixal e Amora (Setúbal), tendo sido fiscalizados sete estabelecimentos comerciais e de restauração, e identificados 30 cidadãos estrangeiros e 10 nacionais.

“Dos 30 cidadãos estrangeiros, seis foram identificados a trabalhar sem autorização de residência que os habilitasse ao exercício da referida atividade profissional subordinada, tendo sido notificados para abandono voluntário de território nacional”, lê-se no documento.

O SEF instaurou quatro processos de contraordenação às entidades empregadoras por utilização de atividade de cidadão estrangeiro em situação irregular.

No Alentejo, em Estremoz (Évora), o SEF fiscalizou quatro ligações de autocarros expresso no terminal rodoviário daquela cidade, tendo sido feitas as identificações de todos os cidadãos, bem como aferida a legalidade da entrada e permanência dos cidadãos estrangeiros em território nacional.

No decorrer desta ação foram identificados 12 cidadãos estrangeiros, titulares de autorização de residência válida.

Ainda esta semana, o SEF explica que realizou uma ação de controlo documental no comboio internacional, no percurso Entroncamento – Lisboa.

A operação “Celta” teve como principal objetivo verificar a situação documental dos cidadãos estrangeiros no fluxo de entrada em território nacional por via ferroviária.

“Esta ação permitiu identificar 77 cidadãos, dos quais 41 estrangeiros. Todos os passageiros identificados encontravam-se em situação regular em território nacional”, lê-se no comunicado.