A Polícia Judiciária efetuou dez detenções no âmbito da megaoperação desta segunda-feira, que teve como alvo a elite do Exército, sob suspeita de terem montado uma associação criminosa em torno das missões portuguesas, ao abrigo da ONU, na República Centro Africana (RCA).

À TVI24, a Guarda Nacional Republicana (GNR) confirmou que um dos detidos era um ex-comando e aluno da Escola de Guardas. O suspeito é “Guarda-Provisório”, não pertencendo ainda ao corpo efetivo desta força de segurança.

Informa-se que hoje, 08 de novembro, foi detido pela Polícia Judiciária, um Guarda-Provisório em formação, desde junho de 2021, no 44.º de Formação de Guardas em Portalegre, o qual ingressou na formação proveniente das Forças Armadas”, avança a GNR. 

A GNR acrescenta ainda que o detido “mostra total disponibilidade para colaborar com a Polícia Judiciária na investigação em curso”.

Em causa, sabe a TVI, tráfico de diamantes, de ouro e droga, que transportam daquele país em guerra, para a Europa, a bordo de aviões militares cuja carga não é fiscalizada. 

VEJA TAMBÉM: 

Nuno Mandeiro