O comendador Valentim Gonçalves Morais, um dos fundadores do Mundo Português, o semanário em português de maior circulação do mundo, morreu aos 86 anos, revelou hoje o jornal.

Valentim Morais morreu em Lisboa, no sábado passado, e o enterro realiza-se esta segunda-feira, na aldeia de Avô, em Oliveira do Hospital.

Valentim Gonçalves Morais nasceu a 4 de setembro de 1930 na aldeia de Avô, em Oliveira do Hospital.

Muito jovem veio para Lisboa, onde nos anos de 1960 adquiriu uma pequena gráfica, a Mirandela para, em poucos anos, a transformar na empresa gráfica com a maior rotativa de jornais do mundo.

A Gráfica Mirandela chegou a empregar mais de 500 colaboradores nos anos de 1980 e a imprimir semanalmente mais de 200 publicações, incluindo as maiores do país, sendo pioneira no emprego das técnicas de ‘offset’, fotogravura e desenvolvimento digital.

Hoje a gráfica fica em Santo Antão do Tojal, em Loures, com novas e modernas instalações.

Na Mirandela nasceram inúmeros jornais e publicações de que se destacam o “Expresso”, “O Emigrante/Mundo Português”, “O Dia”, “Luta Popular”, o “Jornal Novo” e foi responsável pela impressão diária de vários jornais como o “24 Horas”, o “Metro”, a “Bola”, o “Económico”, o “Público”, o “Semanário”, “O Independente”, o “Diabo”, o “Crime” e também várias revistas.

Foi na Mirandela que o “jornal i” começou a ser impresso, bem como as revistas da Deco, folhetos de todas as grandes superfícies e livros da editora Leya, entre outras grandes editoras.

Em janeiro de 1970, Valentim Morais fundou com o padre Vítor Melícias, o jornal O Emigrante/Mundo Português sob o lema "Agir Servindo", porque mais do que um jornal era um serviço prestado aos portugueses que saíam de Portugal para viver nas mais duras condições de vida e num abandono cultural e informativo quase absoluto.

O Mundo Português ainda hoje é o semanário português de maior circulação no mundo.

Valentim Morais deixa dois filhos, Carlos Morais (atual administrador do jornal e que deu continuidade ao projeto desde 1980) e José Morais, seis netos e três bisnetos.

A missa do sétimo dia será realizada na sexta-feira, na Igreja de São João de Deus, em Lisboa. A cerimónia será presidida pelo padre Vítor Melícias, amigo do comendador Valentim Morais há mais de 50 anos.