O presidente da Câmara de Alcácer do Sal (Setúbal), Vítor Proença, contestou, nesta quarta-feira, a inclusão do concelho na lista dos 121 municípios considerados de risco elevado devido à covid-19, acusando o Governo de “deturpação grosseira dos números”.

Trata-se de uma deturpação grosseira dos números apresentados pelo Ministério da Saúde, particularmente, nos quinze dias anteriores a 31 de outubro, em que estavam a ser apresentados 32 casos, quando pelo rácio da população, Alcácer do Sal, não atingia os 240 casos por 100 mil habitantes”, disse hoje o autarca, em declarações à agência Lusa.

De acordo com Vítor Proença, a Câmara Municipal de Alcácer do Sal “começou a contestar” esta decisão “a partir do momento em que a Autoridade de Saúde Pública local e regional confirmaram que os dados não eram de 32 casos positivos, nos 15 dias anteriores, mas de 27 casos”.

Com a reconfirmação, por parte da Autoridade de Saúde Pública local e regional, a SINAVE, que é a plataforma da Direção-Geral da Saúde (DGS), foi obrigada, perante a evidência dos factos, a alterar os números, de acordo com a realidade, ou seja os 27 casos”, frisou.

Para o autarca, tratou-se de “um truque manhoso, como se diz no Alentejo”, uma vez que "em vez dos 27 casos, colocam 32".

Havia uma notificação, considerada positiva, de alguém que não pertencia ao concelho, duas situações em que duplicaram os casos e outras duas situações que apelidamos de 'positivos mistério', porque ninguém sabe de onde são, qual é o nome, a idade, mas, seguramente, não pertencem a Alcácer do Sal”, especificou.

Perante aquilo que considera ser uma “teimosia do Ministério da Saúde”, o presidente da Câmara de Alcácer do Sal diz que esta situação “deixou de ser um caso de esclarecimento técnico e de reposição da verdade e passou a ser um caso político”.

Isto prejudica o município de Alcácer do Sal porque, além de ser injusto, deixamos de acreditar no Ministério da Saúde e no Governo. Não quer dizer que Alcácer ou outro município não possa estar incluído nesta lista, mas sermos incluídos quando os dados batem certo e não quando há uma fabricação dos números”, sublinhou.

O presidente da Câmara Municipal de Alcácer do Sal garante que “vai cumprir” o confinamento parcial, imposto pelo Governo, a partir desta quarta-feira, com a implementação de medidas nos serviços camarários.

“Nos serviços públicos da Câmara, regressámos ao regime de desfasamento dos horários dos trabalhadores. Relativamente às outras entidades, as regras são aplicadas e aquilo que são competências do município vamos exercê-las, mas temos de respeitar porque estamos incluídos nesta lista dos 121 concelhos” considerados de risco elevado devido à covid-19.

O autarca adiantou ainda que o município decidiu autorizar no próximo sábado a realização do mercado de Alcácer do Sal.

Alcácer do Sal e Sines são os dois concelhos do litoral alentejano abrangidos, a partir de hoje e até ao dia 19 deste mês, por medidas especiais para contenção da pandemia de covid-19, por serem considerados concelhos de risco elevado de transmissão.

/ CM