As pessoas com mais de 60 anos que estavam à espera de levar a segunda dose da vacina da Astrazeneca deverão estar todas vacinadas dentro de dez dias, anunciou esta quinta-feira a ministra da Presidência.

A vacinação completa dos mais de 60 anos estava prevista para a última semana deste mês, mas, com o encurtamento do prazo de 12 para as oito semanas entre as duas tomas vacina da Astrazeneca e a aceleração do ritmo de vacinação, esse prazo foi antecipado, disse Mariana Vieira da Silva.

Temos hoje condições para dizer que, neste cenário, as pessoas com mais de 60 anos vacinadas com a vacina Astrazeneca, que estavam à espera da segunda dose, poderão estar todas vacinados no dia 11 de julho”, avançou a ministra em conferência de imprensa no final do Conselho de Ministros.

Para Mariana Vieira da Silva, esta situação significa “uma aceleração significativa no calendário” que estava previsto e corresponde ao esforço de proteger os que “são mais frágeis perante este vírus, que correm mais riscos de hospitalização”.

Questionada sobre as medidas que poderão ser tomadas para levar os jovens a vacinarem-se, a ministra apontou que o certificado de vacinação é um incentivo.

Quando aprovamos a possibilidade de o certificado de vacinação ser condição de acesso a concertos, a estabelecimentos, e sendo esta uma regra que o Governo pretende alargar a outros estabelecimentos e outras situações, isso é visto como um incentivo à vacinação”, explicou.

A ministra elucidou ainda que “a incidência nos vacinados é muito menor do que nos não vacinados” e, por isso, todos devem ser vacinados na sua vez para evitar a doença grave, a hospitalização e a morte, mas também para reduzir o peso da doença covid-19.

Segundo a ‘task force’ da vacinação, as pessoas entre os 18 e os 29 anos começam a ser vacinadas contra a covid-19 na próxima semana, estando a ser analisadas estratégias para convencer os mais jovens a vacinarem-se.

“A semana que se inicia a 4 de julho é a data estimada para o início da vacinação, por ordem decrescente, da faixa etária dos 18 aos 29 anos”, adiantou à Lusa fonte da estrutura que coordena a logística da vacinação.

“Atualmente, estão em estudo algumas ações que poderão vir a ser implementadas para apelar os mais jovens à vacinação”, adiantou ainda a `task force´ coordenada pelo vice-almirante Henrique Gouveia e Melo.

/ MJC