A utilização de uma nova ferramenta – Microsoft Teams – permite ao Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho ser o “único do país a monitorizar em tempo real” a Consulta do Viajante, permitindo uma “melhoria contínua” do serviço.

A partir do momento em que o viajante se inscreve na consulta, através da página online da unidade hospitalar, faz-se um acompanhamento contínuo do mesmo até ao seu regresso a Portugal, explicou à Lusa o responsável pela equipa multidisciplinar da Consulta do Viajante, Tiago Teixeira.

Esta ferramenta do Office 365, fruto de uma parceria entre a Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS) e a Microsoft, foi apresentada durante a WebSummit, em Lisboa, a 6 de novembro.

O infecciologista adiantou que esta aplicação está “focada no viajante” e nas suas necessidades, tendo desde setembro, altura em que foi implementada, sofrido já diversas alterações com base nas suas sugestões.

A título de exemplo, Tiago Teixeira referiu que uma das utentes, aquando do preenchimento de um formulário de satisfação, assinalou que, por falta da indicação do local da consulta, foi para outro polo do hospital.

A partir dessa informação, colocamos sempre no e-mail de confirmação de marcação de consulta a localização GPS e, desta forma, não voltamos a repetir este erro”, frisou.

Dizendo que a “satisfação” do utente é o mais importante, Tiago Teixeira deu como outro exemplo o facto de uma utente ter criticado o facto de querer desmarcar a consulta agendada e não conseguir, dado o telefone estar sempre ocupado.

Agora, contou, a desmarcação é sempre feita por e-mail, sendo mais fácil e mais rápido, permitindo à equipa ter imediatamente acesso a esse dado.

Isto permite-nos estar sempre ao corrente das necessidades dos utentes, ressalvou.

Além destas sugestões, a ferramenta permite recolher uma série de dados relativos ao viajante, nomeadamente se ficou doente durante o período em que esteve fora do país, se sim quanto tempo e de que forma, informações úteis para a equipa rever a sua atuação, disse.

Desta forma, Tiago Teixeira salientou que conseguem monitorizar onde aconteceram grande parte das ocorrências e de que natureza foram.

O viajante tem presença e voz em todo este processo”, vincou.

Sem lista de espera, o médico revelou que, diariamente, são feitas entre cinco a seis consultas, sendo a experiência global dos utentes positiva, tanto que a maioria recomendaria este serviço, baseando-se em dados obtidos nos inquéritos de satisfação.

Na Consulta do Viajante o utente é informado sobre medidas preventivas ou curativas a adotar antes, durante e depois da viagem, em função do destino.