«No final de 2014, o tempo médio de resposta a chamadas 112 era de 14 segundos, mas agora duplicou - um indicador que traduz a falta de recursos humanos. As chamadas de emergência cresceram cinco por cento, mas não há técnicos suficientes para as atender.»




«O INEM teve criar um sistema de pool de macas, emprestando-as aos hospitais», acrescentou a deputada do PS