A fuga a notificações judiciais deixa nesta altura 15.278 portugueses fora do radar da justiça portuguesa, segundo números divulgados pelo Jornal de Notícias.

Os arguidos que os tribunais não conseguem encontrar passam a integrar a lista de cidadãos contumazes.

São pessoas que não podem obter um novo cartão de cidadão nem, por exemplo, ir a uma consulta no SNS, ou pagar uma fatura da água ou luz.

Os tribunais querem julgar ou interrogar 7.900 homens, 1401 mulheres e 198 empresas que se encontram em parte incerta. 

A maioria dos casos diz respeito a crimes de condução sem carta, sob o efeito de álcool ou furtos.

/ CP