A Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGSP) afirmou esta sexta-feira que 121 reclusas na cadeia de Tires foram infetadas com o novo coronavírus.

As reclusas que foram contagiadas não manifestam, até ao momento, sintomas relacionados com o novo coronavírus.

A Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais ainda não avança uma explicação para o surto. Até ao momento foram testadas 320 reclusas dos pavilhões 1 e 2, em articulação com a saúde pública.

A testagem em massa surgiu depois de terem sido detetados quatro casos positivos à doença entre reclusas daquela cadeia feminina.

Face a este quadro, a DGRSP, no âmbito do plano de contingência, determinou a afetação das reclusas positivas, genericamente assintomáticas, a um pavilhão do Estabelecimento Prisional de Tires, onde permanecerão em isolamento, separadas da restante população prisional, e sob vigilância e acompanhamento de pessoal clínico do Hospital Prisional, que foi para o efeito convocado", indica a DGRSP.

A nota da direção-geral acrescenta que no Estabelecimento Prisional de Tires se mantêm "suspensas as atividades de formação escolar e profissional e de trabalho, bem como as visitas".

A DGRSP sublinha ainda que, em articulação com as autoridades de saúde pública, vai proceder-se a nova testagem de todos os trabalhadores do Estabelecimento Prisional de Tires, sendo que, até ao momento, entre os trabalhadores há o "conhecimento de dois casos positivos, um de guarda prisional e outro de profissional de saúde avençado".

A DGRSP informa também que prossegue a testagem às restantes reclusas daquele estabelecimento prisional feminino.

Segundo esta direção-geral, tutelada pelo Ministério da Justiça, os planos de contingência à covid-19, que têm vindo a ser aplicados e ajustados pela DGRSP, foram determinantes para que "a atual situação, centrada no Estabelecimento Prisional de Tires, constitua, após oito meses de pandemia, o primeiro surto de covid 19 num estabelecimento prisional".

Portugal contabiliza pelo menos 2.792 mortos associados à covid-19 em 166.900 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde.

Luís Varela de Almeida