A ministra da Defesa da Alemanha anunciou esta sexta-feira que o país vai estender a ajuda dada a Portugal no combate à pandemia de covid-19 por seis semanas.

Annegret Kramp-Karrenbauer falou ao jornal Funke, onde disse que as Forças Armadas vão continuar a ajudar o nosso país a combater a doença.

Continuamos juntos na Europa e ajudamos onde é mais preciso", afirmou a governante.

O embaixador germânico em Lisboa, Martin Ney, considerou anteriormente que a ajuda alemã à crise sanitária em Portugal “é do interesse da própria Alemanha”, na medida em que só em conjunto se pode ultrapassar a crise de covid-19.

A comitiva médica militar, composta por 26 profissionais, chegou cerca das14:00 de 3 de fevereiro a Portugal, sendo recebida pela ministra da Saúde, Marta Temido, e pelo ministro da Defesa, João Gomes Cravinho. 

Europa steht zusammen. Bewährte Kooperation zwischen @SanDstBw und @Team_Luftwaffe Im Kampf gegen #Corona. Schnelle Hilfe mit Personal und Material nach Portugal. Unser Inspekteur begleitet @InspekteurSan auf seinem Weg nach Lissabon. #FürEuchgemeinsamstark @bundeswehrInfo pic.twitter.com/DPLKTZCM8z

— Team_Luftwaffe (@Team_Luftwaffe) February 3, 2021

Os meios alemães foram encaminhados para o Hospital da Luz porque era uma unidade já pronta a funcionar, mas que ainda não tinha aberto por não ter recursos humanos, explicou a ministra.

 A escolha recaiu nesta unidade então porque estava “perfeitamente equipada, no centro de Lisboa, em condições de funcionar”, acrescentou.

"O trabalho realizado na região de Lisboa e Vale do Tejo, permitiu encontrar disponibilidade do Grupo Luz Saúde para, realocando doentes, recursos e adaptando espaços, em tempo record, disponibilizar um núcleo de mais 8 camas de cuidados intensivos que permitirá à referida equipa trabalhar num espaço único, proporcionando-lhes condições de maior eficiência no tratamento de doentes graves provenientes de hospitais públicos da Região de Lisboa", explicita o Ministério da Saúde em comunicado.

A tutela explicou ainda que a "operacionalização desta colaboração será efetuada mediante acordo específico a celebrar entre a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo e o Grupo Luz Saúde, estando desde já assegurado que a gestão das 8 camas agora disponibilizadas funcionará num quadro de articulação com a Comissão de Acompanhamento da Resposta Nacional em Medicina Intensiva para a covid-19".

A equipa conta “permanentemente com o apoio de todos os recursos clínicos” daquela unidade, nomeadamente das especialidades médicas de apoio à UCI (unidade de cuidados intensivos), patologia clínica, exames de imagiologia, bem com a garantia das cadeias de abastecimento de consumos clínicos e fármacos.

As camas disponibilizadas reforçaram a capacidade de resposta para tratamento de doentes covid no Hospital da Luz Lisboa, totalizando atualmente 106 camas, das quais 25 destinadas a cuidados intensivos, pode ler-se no comunicado.

O processo de auxílio alemão a Portugal arrancou em 25 de janeiro, na sequência de um pedido de ajuda de Marta Temido, à ministra da Defesa alemã, Annegret Kramp-Karrenbauer, e foi agora concretizado com uma equipa constituída por 26 profissionais de saúde, entre os quais oito médicos, sendo igualmente transportados 40 ventiladores móveis e 10 estacionários, 150 bombas de infusão e outras tantas camas hospitalares.

António Guimarães / com Lusa