O Hospital Garcia de Orta, em Almada, vive dias de autêntica sobrelotação dos serviços. As ambulâncias acumulam-se à porta da unidade, numa altura em que a taxa de ocupação já chegou aos 309% em relação ao previsto no plano de contingência.

Dos mais de 200 infetados com o novo coronavírus, que provoca a doença covid-19, 177 estão internados em enfermaria e, além dos 19 em cuidados intensivos.

No plano inicial estavam previstas apenas 66 camas em enfermarias e nove em cuidados intensivos.

Perante esta realidade, a unidade já confirmou que vai abrir uma nova enfermaria em estrutura modular.

Do hospital chegam apelos para que só se recorra às urgências em casos de muita necessidade. O Garcia de Orta volta a apelar à população dos concelhos de Almada e Seixal para que, em caso de doença, recorra em primeiro lugar aos médicos de família (Centro de Saúde).

Em caso de sinais e sintomas compatíveis com doença respiratória, a população deve dirigir-se primeiro às áreas dedicadas para doentes respiratórios dos Centros de Saúde, só recorrendo ao HGO em situações mais graves.

Redação / com Lusa