O último boletim divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS) indica que o número de casos aumentou 15% em Portugal nas últimas 24 horas, um aumento inferior ao que tinha sido registado no balanço anterior, mas Rita Sá Machado, médica de saúde pública e Chefe de Divisão de Epidemiologia e Estatística da DGS, afirmou, no Jornal das 8, da TVI que é preciso "cautel"a ao olhar para estes dados.

Tivemos um aumento em cerca de 15% dos casos, mas eu teria alguma cautela com esse aumento inferior aos dias anteriores."

A especialista, que falou sobre a pandemia de Covid-19 em Portugal no Jornal das 8, esta terça-feira, afirmou que a curva epidémica de Covid-19 em Portugal tem "uma tendência de crescimento exponencial", mas que as medidas implementadas vão transformar esse crescimento e já é possível ver alguma alteração da própria curva.

Esta curva vai ter uma tendência de crescimento exponencial. Contudo, o facto de terem sido implementadas medidas ao longo do tempo (...) essas medidas vão transformar esse crescimento exponencial da curva e conseguimos ver já alguma alteração da própria curva. Mas se não fossem aplicadas medidas ela teria uma curva exponencial."

Rita Sá Machado compara a curva a uma mola, afirmando que se forem levantadas algumas das medidas impostas ou se "ainda não estivermos no tempo certo" de retirarmos essas medidas a mola vai ganhar o mesmo espaço.

Estamos perante uma mola, se carregarmos nessa mola nós vamos tentar conter ao máximo esse número de casos, mas se a libertarmos, se tirarmos algumas das medidas, se ainda não estivermos no tempo certo de as retirarmos, essa mola vai ganhar o mesmo espaço."

De acordo com o último boletim da DGS, já morreram 33 pessoas devido à Covid-19 e há 2.362 pessoas infetadas (mais 302). A grande maioria (2.159) está a recuperar em casa e 203 estão internadas (mais dois), 48 das quais em Unidades de Cuidados Intensivos (mais uma).

/ SS