A Câmara Municipal do Porto apela ao Governo que declare o Estado de Emergência Nacional por causa da pandemia de Covid-19.

Depois de ter implementado um Plano Interno de Contigência para trabalhadores e instalações municipais, proíbido a realização de feiras e mercados municipais e encerrados os parques infantis e de estacionamento, a autarquia liderada por Rui Moreira decidiu este sábado proibir todas as esplanadas na cidade.

Em comunicado, a Câmara refere que apesar das medidas anunciadas na sexta-feira "parece haver ainda quem insista em minimizar a ameaça e mantenha um elevado nível de convivência social no espaço público".

A Polícia Municipal tem feito um admirável trabalho de aconselhamento nas ruas e de selagem de um conjunto alargado de espaços, como praças, miradouros ou pequenos jardins.
Hoje, foi ainda tomada a decisão complementar de proibir todas as esplanadas na cidade, estando a Polícia Municipal a informar os estabelecimentos dessa medida."

A Câmara do Porto diz que os agentes da Polícia Municipal "têm reportado um conjunto de situações que implicam mais poder público para que possa ser imposta uma maior distância social em 100% da cidade, como recomendado pela Organização Mundial de Saúde".

Por isso, a Câmara quer que o Governo declare o Estado de Emergência Nacional.

 Entende a Câmara Municipal do Porto, nessa medida, que deveria ser antecipado o decreto de declaração do Estado de Emergência Nacional."

Carolina Resende Matos / SS - atualizada às 19:15