Cinco pescadores da comunidade de Vila do Conde e Póvoa de Varzim, distrito do Porto, continuam infetados com covid-19 e outros 40 estão em regime de confinamento, atualizou hoje a Associação Pró Maior Segurança dos Homens do Mar (APMSHM).

Segundo a entidade, este número espelha uma redução "para menos de metade" dos pescadores que, na semana passada, ainda estavam impedidos de trabalhar, ora por estarem infetados com o novo coronavírus, ora por terem de cumprir isolamento, após contacto com outros infetados.

Mediante esta redução, a APMSHM divulgou que das cinco embarcações que estavam paradas, por não terem tripulação para as operar, apenas duas continuam sem atividade, mas com perspetiva de "ainda esta semana regressarem ao mar".

A associação deu ainda conta que, na semana passada, esteve reunida com o Secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, e com elementos Direção-Geral da Sáude, e que "apresentou o esboço de cinco planos de contingência para os vários tipos de embarcações de pesca", que vai ser agora analisado pelas entidades.

Neste encontro, a APHMSM deu conta da necessidade de aumentar o número de testes de despiste à covid-19 aos pescadores da região Norte, disponibilizando as instalações da associação para a realização desses exames.

Segundo o mais recente boletim da Direção-Geral da Saúde, Vila do Conde registou um aumento de 53 infetados com covid-19, em relação à semana passada, e o concelho vizinho da Póvoa de Varzim também teve um incremento de 46.

Desde o início da pandemia, o município de Vila do Conde já registou 698 caso, enquanto na Póvoa de Varzim foram contabilizados 365.

Portugal contabiliza pelo menos 1.822 mortos associados à covid-19 em 58.012 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

/ AG