Num momento em que o número de infetados em Portugal atingiu os 24.027, registando-se 928 vítimas mortais, o especialista em saúde pública Ricardo Mexia e o advogado Telmo Semião juntaram-se esta terça-feira para responder a algumas das mais relevantes perguntas sobre o impacto da pandemia na saúde e no emprego.

Dores de cabeça, dores no braço e falta de apetite. O que fazer?

Várias pessoas com sintomas de outras condições que não o Covid-19 têm evitado deslocações ao hospital, devido à pandemia do novo coronavírus. Ricardo Mexia explica que estas pessoas devem procurar de imediato cuidados médicos, primeiro por telefone e, caso se justifique, deslocarem-se à unidade hospitalar mais próxima.

Ia começar a trabalhar numa empresa que entrou em lay-off. E agora?

Teoricamente, caso nada lhe tenha sido comunicado, deverá começar a trabalhar. Isto se tiver assinado contrato e tiver uma data prevista de início de funções. No entanto, poderá acontecer que o trabalhador entre em funções na empresa já ao abrigo do regime de lay-off.

É arriscado ir à praia mesmo mantendo as distâncias de segurança?

Apesar de ainda não ser claro quais as recomendações para os espaços abertos. No entanto, nas praias junto aos maiores centros urbanos é muito difícil manter uma distância de segurança.

A nicotina tem efeitos protetores sobre a doença?

Um estudo francês, ainda em revisão, apontou que a nicotina poderá ser um aliado na luta contra a doença. Ricardo Mexia esclarece que o estudo “não ia tão longe”, o que a investigação referia é que taxa de fumadores internados era inferior à dos não fumadores internados.

Para o médico de saúde pública, a ausência de “dados robustos” que comprovem o estudo. No entanto, sublinha que a nicotina é uma substância aditiva e que causa grades problemas à saúde.

/ JGR