Perante as diversas questões relativas aos efeitos da pandemia do novo coronavírus na saúde e na economia, Ricardo Mexia, presidente da Associação Nacional de Médicos de Saúde Pública, e o especialista em direito do trabalho, João Santos, foram convidados esta terça-feira ao programa Covid-19 Consultório para esclarecer algumas das mais relevantes perguntas sobre a situação que o país atravessa.

Uma pessoa infetada pode ir às compras se usar máscara?

Ricardo Mexia expressa que em nenhuma situação um caso positivo de Covid-19 deve sair do isolamento a que foi submetido por ordem das autoridades de saúde. Será, por isso, importante que a pessoa encontre soluções externas e procure respostas aos problemas junto das IPSS, autarquias, ou familiares.

 

Sou reformado e tenho dificuldades financeiras, tenho de continar a pagar a renda?

O especialista em direito do trabalho, João Santos, afirma que a pessoa que se encontra nesta situação deve contactar o senhorio o mais rápido possível e tentar encontrar uma via de consenso. Se não for feito um acordo, o especialista sublinha que a legislação fornece o direito à moratória, caso haja uma quebra superior a 20% do rendimento do agregado familiar.

 

Posso continuar a circular com o carro sem inspeção?

João Santos adianta que o prazo das inspeções das viaturas foi suspenso e que, neste momento, não é exigido que seja cumprida a data limite do prazo, permitindo que o condutor efetue a inspeção após o tempo previsto.

Durante quanto tempo um assintomático pode transmitir o vírus?

Ricardo Mexia esclarece que a humanidade ainda não conhece o vírus o suficiente para ter uma resposta prática a essa questão. No entanto, o médico sublinha que os doentes  assintomáticos estão normalmente aptos para disseminar o vírus dois a três dias antes de desenvolverem sintomas.

Anti-histamínicos podem camuflar sintomas da Covid-19?

O especialista em saúde pública afirma que estes medicamentos podem eventualmente camuflar alguma da sintomatologia. No entanto, Ricardo Mexia explica que uma pessoa que regularmente faça terapêutica com anti-histamínicos “tipicamente reconhece e diferencia o que surge ou não da sua situação alérgica”.

 

Lurdes Baeta