O governo espanhol aguarda por um pedido oficial de ajuda por parte de Portugal para organizar com as suas comunidades autónomas apoio para aliviar a pressão hospitalar do país vizinho, revelou fonte diplomática espanhola à agência Lusa.

“Temos total disponibilidade para ajudar Portugal” a lutar contra a pandemia de covid-19, disse fonte do Ministério dos Negócios Estrangeiros espanhol, acrescentando que, assim que se formalize o pedido de apoio, a questão será discutida com as comunidades autónomas do país.

O setor da saúde está descentralizado em Espanha e são as várias regiões espanholas que fazem a gestão de, por exemplo, os meios hospitalares para apoiar os eventuais doentes portugueses que foram transferidos.

“Penso que as autoridades portuguesas preferem atravessar a fronteira”, referiu a mesma fonte que considerou essa possibilidade mais eficaz do que outras soluções de ajuda que são mais “simbólicas”.

Portugal já recebeu ofertas de apoio da parte da Áustria, para receber doentes com covid-19 no seu território, e da Alemanha, que vai enviar, esta quarta-feira, uma equipa de profissionais de saúde militares com competências ao nível da Medicina Intensiva e ainda ceder material clínico (ventiladores, bombas e seringas de infusão).

De acordo com a fonte diplomática espanhola, as ministras espanhola e portuguesa da Saúde têm estado em contacto e, nomeadamente, falaram durante o fim de semana sobre a situação da pandemia nos dois países.

O Governo regional da Extremadura, uma das comunidades espanholas que fazem fronteira com Portugal, ofereceu ajuda através do Ministério da Saúde espanhol, perante a difícil situação sanitária que atravessa o país vizinho, revelou hoje o conselheiro regional para a Saúde desta região, José María Vergeles.

O executivo da comunidade autónoma avançou com esta oferta de colaboração "dentro das possibilidades que tem", indicou Vergeles na sua página na rede social Facebook, acrescentando que o apoio é feito "a partir da Diretiva sobre a Assistência Transfronteiriça".

A terceira vaga da pandemia colocou Portugal no limite das suas capacidades hospitalares, tendo o país registado desde o início da doença 12.757 mortes devido a covid-19 e 726.321 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.227.605 mortos resultantes de mais de 102,8 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

/ RL