O secretário de Estado da Saúde garantiu esta terça-feira que Portugal “estará preparado” para uma possível segunda vaga da doença Covid-19, mas alertou que isso “também depende da consciência social e da consciência cívica de cada um”.

Não temos valores probabilísticos, mas sempre o dissemos e reiteramos que essa será sempre uma possibilidade e, portanto, temos de ter uma almofada de preparação para essa situação. Estaremos preparados. Temos planos de preparação para o caso disso acontecer, mas isso também depende da consciência social e da consciência cívica de cada um de nós”, disse António Lacerda Sales.

O governante, que respondia a perguntas dos jornalistas na conferência de imprensa diária de ponto de situação sobre a pandemia Covid-19 em Portugal, apelou para o comportamento responsável dos portugueses, mas também parafraseou o primeiro ministro, António Costa, para dizer que “se for necessário dar um passo atrás, será dado”, no que se refere a medidas de contingência e confinamento.

Se mantivermos o que temos tido, essa consciência cívica e social, Portugal poderá evoluir para a retoma à nova vida normal ou novo normal (…). [O passo atrás pode ser] eventualmente retomar algumas das medidas que já tivemos com a devida proporcionalidade à possibilidade de segunda vaga. Se houver uma segunda vaga também ela irá ser dinâmica”, disse António Lacerda Sales.

Portugal contabiliza 1.163 mortos associados à pandemia Covid-19 em 27.913 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a pandemia. Relativamente ao dia anterior, há mais 19 mortos (+1,7%) e mais 234 casos de infeção (+0,8%).

Das pessoas infetadas, 709 estão hospitalizadas, das quais 113 em unidades de cuidados intensivos, e o número de casos recuperados é de 3.013.

/ AG