A Direção-Geral da Saúde (DGS) e o Ministério da Saúde fizeram esta sexta-feira o balanço da situação de Covid-19 em Portugal. A ministra da Saúde, Marta Temido, começou por ressalvar o número de hospitalizações (420), sendo que desses doentes, 271 estão internados em hospitais da região de Lisboa e Vale do Tejo.

Segundo a governante, é também naquela região que se registam a maioria dos casos ativos (68% do total).

Os números de Lisboa têm por trás a explicação parcial em algumas situações de novos surtos", disse.

A ministra da Saúde adiantou que existem 198 surtos ativos em Portugal, dos quais 127 se encontram na região da capital. A região Norte tem 40 surtos ativos, o Centro e o Algarve têm 13, enquanto o Alentejo tem 5 surtos.

Sobre o Risco de Transmissibilidade (RT), a ministra refere que, segundo os dados do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, a média nacional para o período entre 16 e 20 de julho se cifrou em 0,92.

O país teve uma taxa de incidência, nos últimos sete dias, de 15,7 novos casos por 100 mil habitantes e uma taxa de incidência, nos últimos 14 dias, de 37,1 novos casos por 100 mil habitantes", acrescentou.

Marta Temido revelou ainda que a incidência da doença na Área Metropolitana de Lisboa mantém uma tendência decrescente. Recorde-se que esta zona está em estado de contingência, sendo que 19 freguesias de cinco concelhos continuam em situação de calamidade.

Relativamente ao estado do processo da vacina, quem está a acompanhar o processo é o Infarmed, que tem uma reunião todas as semanas onde estão presentes os 27 estados-membros da União Europeia, onde são coordenadas as interações com a indústria farmacêutica.

Há neste momento oito consórcios que estão num processo mais avançado e mais promissor de investigação. Algumas dessas vacinas estão já na fase 3", adiantou, numa informação que já tinha referido no debate do Estado da Nação.

Apesar do acompanhamento, a ministra da Saúde não quis adiantar datas ou preços para a disponibilização da vacina.

É precoce estar a avançar com números", afirmou, ainda que tenha admitido que existe uma estimativa.

Norma de testagem nacional e distribuição dos ventiladores

Em relação à política de testagem, o subdiretor-geral da DGS, Diogo Cruz, revelou que está a ser preparada uma norma nacional, na qual os profissionais de saúde estão incluídos.

Está em fase relativamente adiantada do seu desenvolvimento. É uma política que está em consonância com o plano de inverno", afirmou, fazendo referência à simultaneidade do novo coronavírus com outros vírus respiratórios, como a gripe.

Questionada sobre os dados de infeção nos profissionais de saúde, a ministra referiu que já foram identificados 4.114 casos, dos quais 3.463 já recuperaram.

Sobre a capacidade de ventiladores do Serviço Nacional de Saúde, a ministra informou que alguns dos equipamentos ainda estão na embaixada de Portugal na China.

Marta Temido falou em concreto dos ventiladores desenvolvidos pelo instituto português CEIIA, dizendo que o Instituto Nacional da Farmácia e do Medicamento validou e certificou os equipamentos, e que podem ser utilizados, em contexto de necessidade, em doentes adultos.

A governante voltou a frisar a importância de ter um plano de vacinação bem delineado, sobretudo tendo em conta o período de pico da gripe.

Portugal regista mais sete mortos e 313 novos casos nas últimas 24 horas em Portugal.

António Guimarães