O lar da Santa Casa da Misericórdia de Alenquer tem 90 pessoas infetadas com covid-19, entre utentes e profissionais. A TVI confirmou que o surto se deu já depois ter sido administrada a primeira dose da vacina.

Recorde-se que a eficácia total da vacina só é garantida uma semana após a segunda dose. Neste caso, os idosos podiam ter alguma proteção, mas incompleta, por falta de tempo entre a toma e a infeção e da segunda dose.

Dos 90 infetados, 76 são utentes e 14 são funcionários, informou a instituição.

Os infetados estão a ser monotorizados e o lar garante que está em contacto permanente com as autoridades.

As autoridades de saúde decidiram fazer esta semana testes de diagnóstico da covid-19 a um universo 189 pessoas, entre utentes e profissionais, depois de o provedor da instituição, Luis Martins Rema, ter tido um teste positivo.

O delegado de saúde adiantou que os utentes infetados estão "relativamente bem" e a recuperar na instituição, apesar de alguns apresentarem "sintomas ligeiros", que antes dos testes, tinham sido associados a "efeitos secundários relacionados com a toma da vacina contra a covid-19".

Em comunicado, a Santa Casa da Misericórdia de Alenquer informou que todos os utentes e profissionais foram vacinados no dia 19, com a primeira dose da vacina.

Já no lar da Santa Casa da Misericórdia da Merceana, no mesmo concelho, o número de infetados aumentou de 55 para 82, dos quais 68 são utentes e 14 são funcionários, disse Pompeu Balsa.

No âmbito dos testes de diagnóstico realizados pelo Instituto da Segurança Social aos funcionários do lar, vários foram testados no dia 15 e um deles teve resultado positivo.

Por isso, as autoridades de saúde decidiram testar todos os utentes e profissionais da instituição.

O delegado de saúde adiantou que o surto está "estável".

Nos dois casos, foram adotadas as regras previstas no plano de contingência elaborado no âmbito da pandemia de covid-19.

Refira-se que o facto de os doentes serem diagnosticados com o novo coronavírus após a tomada da primeira dose da vacina não interrompe o processo de imunização, o qual só fica completo com a segunda dose.

Andreia Miranda / com Lusa