O lar ilegal “Merecido Abraço”, localizado na Maia, no distrito do Porto, tem, entre utentes e funcionários e distribuídas por dois polos, 34 pessoas infetadas com o novo coronavírus, revelou fonte da Segurança Social.

Numa resposta enviada à agência Lusa, a Segurança Social confirmou que foi detetado um surto relacionado com a pandemia da covid-19 na “estrutura ilegal” com o nome “Merecido Abraço”.

No polo de Gueifães há registo de oito idosos e um funcionário infetados, enquanto no polo de S. Pedro de Fins 18 idosos e sete funcionários testaram positivo ao novo coronavírus.

“De momento, e considerando a situação de emergência, a Comissão Municipal da Proteção Civil da Maia, que integra um representante da Segurança Social, está a avaliar as condições dos equipamentos para separação dos utentes, bem como a eventual necessidade de reforço de recursos humanos”, lê-se na resposta da Segurança Social.

A mesma fonte precisou que “em maio de 2019 foi apresentado pela direção deste lar um requerimento de licença de funcionamento para a resposta social de ERPI [Estrutura Residencial para Idosos]”.

“Já em novembro, a entidade foi notificada para a junção dos documentos essenciais para a análise e decisão, sendo que em agosto de 2020, por ausência de resposta, foi novamente notificada, em sede de audiência de interessados, da intenção do Centro Distrital do Porto declarar deserto o processo de licenciamento”, justifica a Segurança Social.

A agência Lusa tentou obter esclarecimentos junto da direção deste lar da Maia, mas até ao momento sem sucesso.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de um milhão e setenta e sete mil mortos no mundo desde dezembro do ano passado, incluindo 2.094 em Portugal.

O concelho da Maia, de acordo com o último boletim epidemiológico da Direção Geral da Saúde (DGS), regista 1.237 casos de infeção.

/ AM