A Ordem dos Médicos (OM) está apelar ao Governo pela vacinação de todos os médicos contra a covid-19.

Através da petição pública "Pela Vacinação Imediata de Todos os Médicos", divulgada esta segunda-feira, a OM alerta que "os profissionais de saúde continuam longe de estarem todos vacinados".

A forma como tem sido gerido o Plano de Vacinação Covid-19 não está a honrar o nosso país e as vergonhas que se têm vindo a acumular ultrapassam o limite do aceitável. As prioridades definidas pela OMS e pela Comissão Europeia, e que foram também assumidas pela DGS, não estão a ser cumpridas", pode ler-se no manifesto, que acompanha a Petição.

Para a Ordem, "a situação da pandemia é crítica e está a exigir de todos os médicos um esforço sem limites, com impacto brutal nos níveis de burnout e sofrimento ético".

Faltam ser vacinados a maioria (cerca de 70%) dos profissionais que trabalham no SNS e a imensa maioria (cerca de 90%) dos que trabalham fora do SNS, alegam.

No manifesto, os médicos pedem ainda "respeito, rigor, transparência e equidade no processo de vacinação".

 Vacinar todos os médicos, de acordo com as prioridades definidas a nível nacional e internacional, é uma questão de ética e de justiça. Preservar a saúde de quem tem o dever e a competência de estar na linha da frente a salvar vidas é defender o interesse público e a saúde do país", afirma a OM, alegando ainda que "não vacinar todos os médicos é condenar os doentes a ficarem sem acesso a cuidados de saúde, fazendo perigar ainda mais o direito à saúde constitucionalmente protegido".
 

Cerca das 17:30 desta segunda-feira, o documento contava já com mais de 3.700 assinaturas. 

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.316.812 mortos no mundo, resultantes de mais de 106 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 14.354 pessoas dos 767.919 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Rafaela Laja