Um dos três doentes com covid-19 transferidos de unidades do território continental para o Hospital do Funchal morreu esta terça-feira, informou a Secretaria da Saúde do arquipélago.

Um dos utentes falecidos hoje é um dos três doentes provenientes do território continental, com diagnóstico de covid-19 internado na Unidade de Cuidados Intensivos”, lê-se numa nota na Secretaria da Saúde.

No comunicado é ainda referido que “a situação já é do conhecimento da família”.

Na região hoje registaram-se outras duas mortes devido ao novo coronavírus, de um homem com 76 anos e de uma mulher com 84 anos, residentes na Madeira, que estavam internados na Unidade Polivalente covid-19 do Hospital Dr.Nélio Mendonça, no Funchal, e tinham “comorbilidades associadas”.

Na nota é ainda referido que um dos dois outros doentes que foram transferidos de hospitais de Lisboa para a Madeira saiu hoje da Unidade de Cuidados Intensivos, estando agora na Unidade Polivalente covid-19.

O outro doente mantém-se nos Cuidados Intensivos.

Segundo os dados hoje divulgados pela Direção Regional de Saúde, a Madeira registou 88 novos casos de covid-19, totalizando 1.758 situações ativas.

Desde o início da pandemia, a Madeira já teve um total de 5.974 doentes confirmados e 4.160 recuperados.

Na noite do dia 29 de janeiro, a Madeira recebeu três doentes com covid-19 dos cuidados intensivos de hospitais de Lisboa.

A transferência decorreu na sequência da disponibilidade manifestada pela Região Autónoma da Madeira para receber doentes críticos do Serviço Nacional de Saúde do continente, sendo que o transporte aéreo foi assegurado pelo Ministério da Defesa Nacional, através de um avião C-130 da FAP.

Um comunicado conjunto dos ministérios da Defesa e da Saúde esclareceu, nesse dia, que a operação contou com a "necessária autorização das respetivas famílias", num processo que assentou numa estreita articulação entre os Serviços de Medicina Intensiva envolvidos e a Comissão de Acompanhamento da Rede Nacional de Medicina Intensiva (CARNMI), o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), a Força Aérea Portuguesa (FAP) e o Serviço de Saúde da Região Autónoma da Madeira (Sesaram).

A região autónoma dispõe de 228 camas para a área covid-19, em dois hospitais do Funchal, e tem capacidade para tratar 47 doentes em cuidados intensivos.

Na quarta-feira, o presidente do Governo da Madeira, o social-democrata Miguel Albuquerque, anunciou que a região ia receber mais três doentes com covid- 19 dos cuidados intensivos dos hospitais do continente, mas a operação ainda não foi divulgada.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.325.744 mortos no mundo, resultantes de mais de 106,4 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 14.557 pessoas dos 770.502 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

/ Publicada por MM