A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, recusou, esta sexta-feira, que exista qualquer recomendação para a indução de parto ou cesariana sem indicação clínica durante a pandemia de Covid-19, notando que a decisão deve ser articulada entre os clínicos e as mães.

Na conferência de imprensa diária sobre a pandemia de Covid-19 no país, Graça Freitas assegurou não existir, até ao momento, prova de risco de transmissão do novo coronavírus através do leite materno de mães infetadas, pelo que os seus benefícios recomendam continuar a administrá-lo, mesmo que prescindindo da amamentação ou usando máscara durante a mesma.

VEJA TAMBÉM

A diretora-geral da Saúde notou que esta decisão deve, também, ser articulada entre a mãe e o clínico assistente.

A Associação pelos Direitos da Mulher na Gravidez e Parto alertou na quinta-feira a DGS de que há grávidas a ser sujeitas a indução do trabalho de parto e a cesarianas sem indicação clínica devido à pandemia de covid-19.

Manuela Micael