Portugal regista este sábado mais 241 casos de covid-19 e dois óbitos, segundo o relatório de situação da Direção-Geral da Saúde, que compila dados das últimas 24 horas.

No total, a pandemia já infetou 55.452 pessoas em Portugal, das quais morreram 1.794.

Boletim Epidemiológico de 22 de agosto by TVI24 on Scribd.

Lisboa e Vale do Tejo foi a única região do país a registar óbitos por covid-19 nas últimas 24 horas, com duas mortes.

Esta região continua a registar o maior número de novos casos, mais 127 nas últimas 24 horas. Lisboa e Vale do Tejo conta com um total de 28.706 casos confirmados e 645 mortes por covid-19.

A região Norte regista hoje 67 novos casos, totalizando 19.860.

Apesar de não registar qualquer novo óbito, mantém-se como a região com o total de mortes mais elevado do país (842).

De acordo com o boletim, houve mais 179 doentes recuperados, totalizando 40.473 casos de recuperação.

O boletim revela também que há menos cinco doentes internados (de um total de 316), mas houve um aumento de um doente em cuidados intensivos em relação a sexta-feira.

A região Centro contabiliza 4.648 casos confirmados (mais 14), o Alentejo regista 885 casos confirmados (mais 17), e o Algarve 1.014 casos (mais sete).

No que respeita a óbitos registados, o Centro mantém 253 mortes, o Alentejo 22 e o Algarve 17.

Nos Açores, há sete novos casos, totalizando 199 desde o início da pandemia, e, na Madeira, há duas novas infeções, de um total de 140, continuando sem registar qualquer óbito por covid-19.

O novo modelo do boletim da DGS, que entrou em vigor na segunda-feira, deixou de fornecer números exatos sobre a distribuição demográfica de casos, mas numa nota enviada às redações esses dados são discriminados.

Os casos confirmados distribuem-se por todas as faixas etárias, sendo entre os 40 e os 49 anos que se registam mais infeções, contabilizando-se um total de 9.156, seguida da faixa etária entre os 30 e os 39 anos, com 9.095 casos, e entre os 20 e os 29 anos, com 8.610.

Os dados indicam ainda que houve 24.939 homens e 30.513 mulheres infetados desde o início da pandemia.

Do total de vítimas mortais, 903 são homens e 891 são mulheres.

O maior número de óbitos concentra-se nas pessoas com mais de 80 anos, com 1.199 mortes registadas desde o início da pandemia, seguindo-se as faixas entre os 70 e os 79 anos (350).

As autoridades de saúde têm sob vigilância 34.182 pessoas (menos 51 do que na véspera).

Rafaela Laja