Portugal recebeu esta segunda-feira o segundo lote de vacinas contra a covid-19. São mais de 70.200 doses da vacina da Pfizer e BioNTech. 

"Portugal já recebeu a quantidade de vacinas que estava prevista", anunciou a Ministra da Saúde, Marta Temido, esclarecendo que "Portugal não foi atingido" pelo problema de logística na fábrica da Pfizer, que obrigou ao adiamento da entrega de vacinas em sete países europeus.

Esta entrega, que já se materializou em parte para o Aeroporto do Porto e no Serviço e Serviço de Utilização Comum dos Hospitais na região Centro, irá agora ser distribuída para a continuação do processo de vacinação em mais hospitais do SNS e nas primeiras unidades de cuidados de saúde primários. Aguardamos o transporte que se espera que seja directo para o arquipélago dos Açores e Madeira. Estes são os primeiros momentos de um processo que, pelo seu significado, não queremos deixar de partilhar com todos", explicou Marta Temido. 

Lares começam vacinação em janeiro, mas só naqueles sem surtos ativos

A ministra da Saúde disse que está previsto começar a vacinação covid-19 nos lares no início de janeiro, mas explicou que nas unidades com surtos ativos isso só acontecerá quando estes estiverem resolvidos.

Neste momento está a ser concluído o processo de identificação das estruturas residenciais para idosos que são objeto desta administração, sendo certo que há uma circunstância que temos de ter presente, que são as unidades que têm surtos, que não serão alvo de vacinação enquanto o surto se mantiver ativo, por uma questão de segurança”, disse Marta Temido, que falava no Hospital Curry Cabral.

A ministra falava depois de ter assistido à vacinação de duas enfermeiras do Curry Cabral e do diretor do serviço de infeciologia desta unidade hospitalar, Fernando Maltez.

Governo estima vacinação nos centros de saúde este ano

Já em visita ao Hospital de Santa Maria, em Lisboa, Marta Temido admitiu que o Governo está a planear iniciar a vacinação contra a covid-19 nos centros de saúde ainda este ano. 

A ministra estima que a vacinação em estruturas residenciais para idosos "se inicie na primeira semana de janeiro", naquele que é um "processo complexo".

Como todos já perceberam, estamos dependentes das entregas das condições logísticas", frisou.

VEJA TAMBÉM:

A PSP divulgou, durante a manhã desta segunda-feira, fotografias da chegada de lotes de vacinas a território nacional.

Continuamos a receber em Portugal lotes de vacinas contra a covid-19, que foram já encaminhadas para as unidades hospitalares", escreveu a força de segurança, no Facebook.

Esta segunda-feira assinala-se também o segundo dia de vacinação contra a covid-19. No Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, já prossegue a vacinação dos profissionais de saúde.

A ministra da Saúde anunciou, na semana passada, que o calendário de entrega das vacinas contra a covid-19 foi antecipado pela farmacêutica Pfizer.

São 70.200 doses que permitem alargar o universo de profissionais a vacinar com esta primeira fase. No Natal e dias a seguir ao Natal esperam-nos dias de intenso trabalho, mas também de satisfação por esta oportunidade que se abre depois deste ano que foi tão difícil", afirmou Marta Temido.

As primeiras 9.740 doses da vacina chegaram sábado a Portugal (dia 26 dezembro) e começaram a ser administradas no domingo, dia 27 de dezembro.

O plano prevê que sejam vacinados até abril cerca de 950 mil pessoas dos grupos prioritários definidos pelo grupo de trabalho: pessoas com mais de 50 anos com doenças associadas, utentes e trabalhadores de lares e profissionais de saúde e de serviços essenciais.

A primeira fase de vacinação prolonga-se até final de março de 2021, tem prevista a chegada de 1,2 milhões de doses de uma vacina que é facultativa, gratuita e universal, sendo assegurada pelo Serviço Nacional de Saúde (SNS).

À semelhança de outros países da União Europeia, em Portugal a vacina é facultativa, gratuita e universal, sendo assegurada pelo Serviço Nacional de Saúde.

Os profissionais dos centros hospitalares universitários do Porto, Coimbra, Lisboa Norte e Lisboa Central foram os primeiros a ser vacinados.

Rafaela Laja / atualizada às 12:20