A PSP tem confirmados contágios de 118 profissionais (113 polícias e cinco técnicos sem funções policiais) devido à pandemia Covid-19, encontrando-se 203 pessoas em confinamento obrigatório/vigilância ativa, foi divulgado esta quinta-feira.

A PSP, que tem todas as suas esquadras em funcionamento, adianta, em comunicado, que, “por indicação das autoridades de saúde, 42 pessoas (38 polícias e quatro técnicos sem funções policiais), já regressaram ao serviço após serem consideradas curadas do contágio e 705 após confirmação do resultado negativo durante o confinamento”.

Durante a prevenção da pandemia de Covid-19, a PSP já distribuiu pelos seus profissionais 21.500 viseiras e 54 mil ‘kits’ de proteção individual (com uma máscara cirúrgica e um par de luvas), para prevenir a contaminação do novo coronavírus.

A PSP refere, no comunicado, que até agora também foram distribuídos quatro mil óculos de proteção, 1.100 doseadores e 600 pulverizadores para solução antissética e 1.195 litros de solução antissética para desinfeção de mãos (base apropriada de álcool > 70%).

Parte desse equipamento foi também disponibilizado à PSP por diversas entidades, como autarquias, Cruz Vermelha Portuguesa, Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, o bispo das Forças Armadas e das Forças de Segurança e diversas outras entidades, empresas e cidadãos anónimos, refere a nota.

A PSP acrescenta que “foi instituída a prática diária de desinfeção dos locais de trabalho e equipamentos de vária utilização (como viaturas policiais), e ainda concretizadas 20 operações de limpeza profunda/desinfeção de instalações.

De sublinhar que, na sequência da priorização garantida pelo Ministério da Saúde ao pessoal da PSP, o número médio de dias de quarentena até realização do teste de despistagem é de quatro dias, condição de grande relevo para garantir a adequada proteção ao pessoal da PSP, mantendo a capacidade operacional”, refere a PSP.

A polícia conclui a nota esclarecendo que atualmente todas as esquadras se encontram a funcionar normalmente.

Em Portugal, morreram 989 pessoas das 25.045 confirmadas como infetadas, e há 1.519 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

O primeiro-ministro, António Costa, depois de reunião do Conselho de Ministros, anunciou esta quinta-feira a aprovação da transição para o estado de calamidade. O Governo revelou ainda o plano de desconfinamento.

/ AG