Um surto com 20 trabalhadores imigrantes infetados pelo vírus que provoca a covid-19 foi identificado na aldeia de Santa Margarida do Sado, concelho de Ferreira do Alentejo, distrito de Beja, disse esta segunda-feira o presidente do município.

Os infetados fazem parte de um grupo de 24 imigrantes que vivem juntos num espaço com várias casas naquela aldeia e trabalham também juntos em explorações agrícolas no concelho, explicou à agência Lusa o presidente da Câmara de Ferreira do Alentejo, Luís Pita Ameixa.

Após ter sido confirmada a infeção num dos imigrantes, foram feitos testes de despiste da presença do vírus que provoca a doença covid-19 aos restantes 23 elementos do grupo, tendo mais 19 tido resultados positivos e os restantes quatro dado negativos, disse.

Trata-se de um surto "circunscrito" ao grupo de imigrantes, que "não tinha contactos assíduos com a comunidade local", o que "ajudou a evitar o alastrar" da infeção a outros habitantes da aldeia, frisou Luís Pita Ameixa.

Segundo o autarca, os 20 imigrantes infetados "não têm sintomas graves" de covid-19 e estão em confinamento obrigatório em casas do espaço onde vivem na aldeia e separados dos restantes quatro que tiveram resultados negativos.

A entidade patronal responsabilizou-se por garantir as boas condições de alojamento, a alimentação e o abastecimento de produtos e bens essenciais aos 24 infetados.

O grupo também está a ser acompanhado pela autoridade de saúde local, pelo Serviço Municipal de Proteção Civil de Ferreira do Alentejo e pela GNR, neste caso "no sentido de garantir que o confinamento obrigatório a que os imigrantes estão sujeitos é cumprido", disse o autarca.

De acordo com Luís Pita Ameixa, no concelho de concelho de Ferreira do Alentejo, há registo de 30 pessoas infetadas pelo vírus da covid-19, das quais 22 estão com infeções ativas e oito já recuperaram.

/ HCL