Foram detetados três casos positivos de Covid-19 no Hospital Prisional de Caxias, no âmbito do rastreio da doença a todos os trabalhadores da unidade de saúde. 

A Direcção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais confirmou à TVI que se tratam de três trabalhadoras de uma empresa externa que presta serviços no hospital.

A DGRSP informa que, na sequência do rastreio que se está a fazer à SARS – CoV 2 aos trabalhadores do quadro desta Direção-Geral e das empresas externas prestadoras de serviços, se receberam, ao principio da tarde de ontem, resultados que indicam que três trabalhadoras de empresa externa prestadora de serviços ao Hospital Prisional, acusaram positivo à Covid 19, pese embora se encontrem assintomáticas", informou, numa nota enviada à TVI.

As doentes estão assintomáticas e já se encontram em casa, em isolamento.

Estas trabalhadoras encontram-se nos seus domicílios em isolamento, tendo, no Hospital Prisional, sido feita a avaliação dos contactos de proximidade suscetíveis de contágio. No caso dos trabalhadores, os restantes resultados de testes recebidos são, até ao presente momento, todos negativos, sendo que os reclusos e os guardas prisionais identificados como contactos de proximidade suscetíveis de contágio estão igualmente a ser testados, aguardando-se os resultados", refere a mesma nota.

"Mais se informa que no Hospital Prisional a utilização dos equipamentos de proteção individual é obrigatória em todas as circunstâncias e que até ao presente momento se conhecem cerca de 3.300 resultados do rastreio nacional, sendo todos negativos, à exceção dos supra referidos", conclui a DGRSP.

Os primeiros casos de Covid-19 em Portugal foram confirmados no dia 2 de março e até agora morreram 1.540 pessoas num total de 39.737 contabilizadas como infetadas, de acordo com o relatório de terça-feira da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Sofia Santana / atualizada às 09:53