A Direção-Geral da Saúde (DGS) apelou, este domingo em comunicado, para que todos os cidadãos que estiveram em contacto próximo com o escritor chileno Luis Sepúlveda, diagnosticado recentemente com coronavírus, que liguem para a linha SNS24.

A DGS apela à serenidade e a todos os cidadãos que estiveram em contacto próximo* com os doentes, e que se enquadram na definição, que liguem para a linha SNS24", lê-se na nota. 

O escritor chileno foi internado, num hospital das Astúrias, em Espanha, onde vive, depois de ter sido diagnosticado com o novo coronavírus. A mulher, a poetisa Carmen Yáñez, confirmou ao jornal El Comercio que o escritor sentiu os primeiros sintomas depois do regresso de Portugal.

A DGS está em contacto com as Autoridades de Saúde de Espanha e refere que a Autoridade de Saúde da Região Norte já iniciou uma “investigação epidemiológica”, ou seja, está a identificar os contactos próximos de Luís Sepúlveda e da sua mulher, que estiveram em Portugal de 18 a 23 de fevereiro, no festival Correntes de Escrita, na Póvoa de Varzim. 

A mulher do escritor, que também se encontra em isolamento no hospital das Astúrias, “parece também ter sintomatologia compatível, encontrando-se sob investigação”, segundo a DGS.

Entretanto, a organização do festival criou "um grupo de acompanhamento", depois de confirmar que Luís Sepúlveda está infetado com o novo coronavírus, foi este domingo anunciado.

Em comunicado, a Câmara Municipal da Póvoa de Varzim (distrito do Porto), que organiza o festival, explica que "foi constituído um grupo de acompanhamento" que "seguirá todas as recomendações" da Direção-Geral de Saúde.

O jornal espanhol La Voz de Asturias noticiou no sábado que o escritor, de 70 anos, é o primeiro caso confirmado na região das Astúrias, em Espanha, e está em isolamento no Hospital Universitário Central das Astúrias, em Oviedo.

A 21.ª do festival Correntes d'Escritas decorreu de 19 a 23 de fevereiro com a participação de quase uma centena de autores de expressão ibérica, de 14 nacionalidades, que participaram em várias atividades, como debates e encontros com público.

Segundo a organização do festival, o grupo de acompanhamento está "em contacto direto com as entidades responsáveis de saúde local, regional e nacional", remetendo "toda a comunicação sobre este assunto" para a Direção-Geral de Saúde.

O surto de Covid-19, detetado em dezembro na China e que pode causar infeções respiratórias como pneumonia, provocou quase três mil mortos e infetou mais de 86 mil pessoas, de acordo com dados da Organização Mundial de Saúde.

Das pessoas infetadas, mais de 39 mil recuperaram.

No sábado, a DGS revelou que Portugal teve 70 casos suspeitos de infeção pelo novo coronavírus, dos quais 67 deram negativo e os restantes três aguardam resultados laboratoriais.

Adriano Maranhão, o primeiro a ser infetado com o novo coronavírus num navio, recebeu este domingo alta hospitalar no Japão, depois de resultados negativos nas análises, segundo a sua mulher, Emmanuelle Maranhão.

/ CE