Doze escolas portuguesas tem atualmente surtos de covid-19 que abrangem um total de 78 pessoas infetadas, revelou esta segunda-feira a diretora-geral da Saúde.

Na conferência de imprensa de atualização de informação relativa à infeção pelo novo coronavírus em Portugal, Graça Freitas afirmou que a Direção-Geral da Saúde (DGS) foi notificada, até à data, de 12 surtos de covid-19 em escolas.

Segundo a diretora-geral da Saúde, cinco escolas com surtos estão localizadas na região Norte, uma no Centro e seis em Lisboa e Vale do Tejo.

No total temos nestes surtos 78 pessoas implicadas com casos positivos para SARS-coV-2”, disse Graça Freitas, esclarecendo que não estão incluídos nestes números as pessoas que têm de estar em isolamento.

A diretora-geral da Saúde disse ainda que estes dados dizem apenas respeito aos surtos que foram reportados, podendo ter aparecido em várias escolas um caso isolado, que habitualmente vêm da comunidade.

Portugal contabiliza mais quatro mortos relacionados com a covid-19 e 425 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde.

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 1.957 mortes e 74.029 casos de infeção, estando ativos 24.188 casos, mais 184 do que no dia anterior.

A DGS indica que das quatro mortes registadas, três ocorreram na região Norte e uma em Lisboa e Vale do Tejo, onde também se verifica o maior número de infeções.

DGS garante que surtos nos hospitais estão identificados e controlados

A diretora-geral da Saúde disse que os surtos de covid-19 ativos em vários hospitais são sobretudo originários de profissionais de saúde e garantiu que estão a ser investigados e controlados.

Há alguns surtos ativos recentes em vários hospitais. Estão a ser investigados. São sobretudo em profissionais de saúde, existem algumas ramificações para outros sítios, porque estas pessoas obviamente que se movem”, afirmou Graça Freitas na conferência de imprensa de atualização de informação relativa à infeção pelo novo coronavírus em Portugal.

A diretora-geral da Saúde avançou que as autoridades sanitárias “estão a acompanhar de perto” estes surtos e que a situação está, neste momento, “tanto quanto possível, controlada”.

Os surtos estão identificados e estamos a observar se existem cadeias de transmissão fora dos estabelecimentos onde foram identificado”, precisou.

Na conferência de imprensa deu ainda conta de algumas instituições de saúde que tem atualmente surtos de covid-19, como é o caso de um surto “praticamente terminado” numa instituição de saúde em Guimarães, na Senhora dos Azeites, com oito doentes.

Segundo a DGS, há outro surto numa instituição de saúde em Paredes, que teve início a 17 de Setembro, com quatro casos de infeção, outro numa clínica na Póvoa do Varzim com 85 casos confirmados, sendo que este teve início em Agosto e está em “fase de maior resolução”, e um outro numa clínica de Vila Nova da Galé, com sete casos confirmados e que “teve início há uns dias”.

Há um outro surto no Hospital Sousa Martins, com dez casos e que começou a 15 de setembro, outro numa ala de medicina do Hospital de Leiria, com oito casos.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo, há um “pequeno surto” no serviço de medicina do Hospital Garcia de Orta, com dois casos, um outro numa clínica psiquiátrica do Lumiar, com 14 casos, um surto na clínica São João de Ávila, com 16 casos, e um outro no Hospital Egas Moniz, mas o número de casos não foi detalhado.
 

/ HCL