A Direção-Geral da Saúde garantiu hoje que o surto de pneumonia viral na China já está contido, indicando que uma eventual propagação "não é uma hipótese neste momento a ser equacionada".

Não temos que estar alarmados, é preciso é estarmos atentos”, afirmou a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas aos jornalistas, sublinhando que o coronavírus detetado na China não se transmitirá de pessoa a pessoa.

Segundo Graça Freitas, a transmissão entre pessoas apresenta uma “fraquíssima possibilidade”, sendo que um dos indicadores que deixa as autoridades tranquilas é o facto de os profissionais de saúde que trataram os doentes na China não terem adoecido.

A responsável sublinhou ainda que é diminuta a possibilidade de o vírus chegar a Portugal, recordando que terá já sido contido na China, estando circunscrito à cidade de Wuhan, capital da província chinesa de Hubei, centro da China.

Em declarações à TVI24, Graça Freitas disse ainda que o genoma deste coronavírus já foi identificado, sendo que entre os coronavírus se destacam aquele que deu origem ao surto de pneumonia atípica em 2003 (o SARS) ou o mais recente que vem do Médio Oriente e se transmite de animais para pessoas (MERS). 

A responsável admitiu ainda que a possiblidade de um contágio em massa deste coronavírus, colocada pela Organização Mundial de Saúde, é "um bocadinho excessiva", porque não há "evidência de transmissão fácil entre humanos"

Ainda assim, a autoridade de saúde tem disponível uma linha telefónica de apoio aos médicos e profissionais de saúde para esclarecimento de dúvidas no caso de receberem algum doente que tenham estado nesta zona da China e apresente sintomas de pneumonia.

Entre as 41 pessoas infetadas com a nova pneumonia viral, um homem de 61 anos de idade morreu na semana passada. Sete outras estão em estado crítico, segundo as autoridades de saúde de Wuhan.

/ BC