Um refugiado infetado com o novo coronavírus, que se encontra instalado em Loures, foi detetado no domingo às compras alegando que “estava com fome”, disse à Lusa fonte do Comando Metropolitano de Lisboa (Cometlis) da PSP.

Segundo o oficial de serviço do Cometlis, Bruno Pereira, um dos refugiados requerentes de asilo transferidos da Base Aérea da Ota, em Alenquer, que se encontra instalado na Casa das Marés, em Loures, no distrito de Lisboa, saiu indevidamente para fazer compras “porque estava com fome”.

Um dos indivíduos, porque não tinha comida, deslocou-se a uma superfície comercial, devidamente protegido, pese embora efetivamente não o pudesse fazer”, explicou o oficial.

O mesmo homem já tinha saído sem autorização no sábado, acrescentou.

Após ter sido detetado pela PSP no interior da superfície comercial, elementos da força de segurança conduziram o indivíduo de regresso à Casa das Marés.

Segundo a mesma fonte do Cometlis, o homem deslocou-se às compras “com equipamento de proteção, máscara e luvas” e colaborou com a força de segurança, “aceitando regressar sem qualquer tipo de resistência”.

Ainda no domingo, junto à Casa das Marés, o Cometlis da PSP confirmou à Lusa uma concentração de “cerca de duas dezenas de populares” em protesto.

Não foi necessária qualquer intervenção, apelas pela via da pedagogia, pois as pessoas perceberam que não fazia sentido não deixar a polícia fazer o seu trabalho”, realçou.

Em 20 de abril, foram colocados em quarentena na Base Aérea da Ota 171 cidadãos estrangeiros requerentes de asilo que estavam hospedados num hostel em Lisboa, por a grande maioria ter testado positivo ao novo coronavírus (SARS-CoV-2).

/ AG